Quando o - se torna +

A vida é constituída por perdas e conquistas, derrotas e vitórias, por + e por –. Muitos são os que querem ganhar, porém, poucos os que sabem perder.

A medida certa para se constatar a maturidade de uma pessoa é a observação de suas reações diante do sofrimento, pois, uma pessoa madura sabe sofrer com dignidade, com paciência, sabe dar tempo ao tempo, esperando o tempo de cada coisa.

Querendo ou não, em determinados momentos da vida a gente perde. Perdemos pessoas, amizades, ocupações, cargos, e principalmente, perdemos os sonhos que tínhamos idealizado como sendo o melhor para nós.

Mas nem sempre tais perdas acontecem para nos diminuir, ao contrário, depende do jeito como as encaramos, e é preciso ter a consciência de que as dores também têm muito a nos acrescentar.

Certa vez um grande Homem, que muito fez em sua vida a experiência de perder disse: “Aquele que quiser salvar a sua vida a perderá, mas o que perder a sua vida por amor… a salvará” (Mc 8,35).

O sofrimento nos acrescenta muito quando aprendemos a dar um sentido a ele, quando o alicerçamos em um nobre sentimento, em uma nobre intenção. O diferencial está na frase: “mas o que perder a sua vida por amor…” , o sentido está em não deixar de amar mesmo perdendo. Mesmo quando todas as certezas caiam por terra, e mais, o sentido também está em aprender com a dor e a desprezar o que é supérfluo e abraçar o que é essencial.

A perda nos leva à reflexão e, conseqüentemente, a descobrir novos ideais e valores. A dor nos faz valorizar as pessoas e não as coisas.

Todos os grandes homens aprenderam com as perdas e cresceram com a dor. Um excelente exemplo disso é o saudoso João Paulo II, homem que perdeu a mãe quando criança, perdeu o pai ainda jovem, e também perdeu muitos amigos sob a pena da ocupação nazista da Polônia na Segunda Guerra Mundial.

Homem que soube fazer de todos esses sofrimentos uma ponte para encontrar no amor e na luta pela paz um sentido nobre e novo para sua existência, sentido esse que o levou a empregar toda sua vida na concretização de tal ideal.

Não olhe para sua vida e para suas dores de maneira negativa, ao contrário supere os rancores e ressentimentos e recomece, permitindo que o tempo e as próprias desventuras lhe ensinem que o – pode ser +.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.