O que vai ser do meu futuro?

Você sabe o que vai ser do seu futuro? Do seu dia de amanhã? Com certeza não, pois nem eu, nem você e nenhum de nós podemos saber o que vai ser dele, já que o futuro cabe a Deus, e só Ele sabe o que vai ser de cada um de nós.

No entanto, não sabeis nem mesmo o que será da vossa vida amanhã! De fato, não passais de uma neblina que se vê por um instante e logo desaparece.”(Tiago 4,14)

Realmente, esta é uma certeza em nossas vidas: o futuro cabe a Deus. E nem mesmo no dia de amanhã saberemos o que será de nós, como nos ensina a Palavra de Deus. Mas, será que podemos interferir nele?

De certa forma sim, pois a Palavra de Deus também nos afirma que tudo o que semeamos, hoje, colheremos no amanhã:

“Não vos iludais de Deus não se zomba; o que alguém tiver semeado, é isso o que vai colher” (Gálatas 6,7). Então, cabe a nós refletir o que andamos fazendo com nosso futuro, o que andamos semeando no tempo presente. Já que é o único tempo que temos para mudar algo em nossas vidas, pois o ontem já se foi, e o amanhã, como sabemos, não nos pertence.

Esta questão do tempo, também me chama muito a atenção neste mesmo capítulo seis de Gálatas, só que no versículo 10, pois diz: “Portanto, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, principalmente aos da família da fé”. Se está claro para nós que o único tempo que temos é o hoje, poderíamos traduzir este trecho da seguinte forma: “Portanto, hoje, façamos o bem a todos…”.

Estamos falando de futuro, do dia de amanhã, do hoje, mas por que estou partilhando estas coisas?

Eu as partilhando, pois algo tem chamado muito minha atenção é situação que se encontra o nosso mundo, pois ele anda muito instável, fazendo com que as pessoas fiquem cada vez mais inseguras quanto ao futuro, devido a inúmeros fatores como: violência, instabilidade política em vários países, desigualdade social, corrupções, conflitos internos, guerras, miséria, enfermidades, a dita “melhor” seleção de futebol, que não passa nem das quartas-de-final da Copa… E, acima de tudo, a falta de Deus, que é o principal fator da instabilidade deste mundo e da insegurança das pessoas.

Ao participar de um retiro, aqui, na comunidade o que mais me chamou a atenção foi uma frase de um dos pregadores: “Não importa o que me venha a acontecer, o que me importa é ser discípulo de Jesus”. Esta frase mexeu muito comigo, pois percebi quantas preocupações desnecessárias eu tinha com minha vida e com meu futuro. Ao ouvi-la, senti as coisas clarearem dentro de mim, percebendo que eu só tenho Deus diante de tudo o que eu vivo e que irei viver. E isso me trouxe muita paz.

Precisamos, de fato, diante de qualquer adversidade ter a mesma atitude de Pedro, que ao ouvir o discurso de Jesus sobre o Pão da vida, palavras muito duras para os discípulos naquela época, disse “A quem iremos Senhor? Tu tens palavra de vida eterna. Nós cremos firmemente e reconhecemos que Tu és o santo de Deus” (João 6,68-69).

Saí do retiro com a meta de, no dia de hoje, buscar me assemelhar a Jesus, já que isso é ser discípulo d’Ele. Para isso, tentar pensar, sentir e agir como Ele em todas as situações. E que Deus me dê esta graça de a cada dia me assemelhar mais a Ele, deixando-O cuidar de mim, pois tudo me será dado em acrcéscimo, a partir do momento que eu buscar em primeiro lugar o Reino de Deus. E é isso que quero viver, Senhor.

“Jesus manso e humilde coração, fazei meu coração semelhante ao Vosso, fazei-me viver o amor e a reconciliação.”

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.