"Amar a Deus e os mais necessitados"

Ontem, o nosso querido Papa Bento XVI proclamou em uma audiência: “A Quaresma é tempo para aprender a amar a Deus e os mais necessitados”. E ao ler esta frase, perguntei-me: ‘Hoje, quem são os mais necessitados?’

Muitas vezes, pensamos naqueles que sofrem, que passam fome, que vivem em guerras, que vivem na miséria… E corremos o risco de pensar que estas realidades estão muito longe de nós, e que portanto, não podemos fazer nada. Então, perdemos de vista o que realmente precisamos viver neste tempo tão especial e profundo para toda a Igreja, que é a Quaresma.

A Santa Igreja nos ensina que Quaresma é tempo de oração, penitência e caridade. E qual tem sido a minha posição com relação a isso que Jesus nos convida a viver?

Refletindo sobre essa frase do Papa, recordo-me da passagem do Evangelho sobre a parábola do Bom Samaritano, a qual nos faz refletir: “Quem é o meu próximo?”. E aqui cabe a pergunta: “Quem são os necessitados do dia de hoje? Dentro da minha realidade, do ambiente em que vivo, quem são os necessitados que Jesus me convida a amar no dia de hoje?”

Muitos de nós passamos o dia e não percebemos como estão as pessoas com quem nos encontramos, as quais estão a nossa volta, e que o próprio Deus coloca ao nosso lado: no trabalho, na escola, na família, na comunidade de fé e tantas outras pessoas com quem convivemos.

O Papa disse também: “Vossos corações estejam ainda mais abertos às necessidades do próximo que se encontram na necessidade, dando testemunho com vossa vida de Cristo, que se entregou por nós, amando-nos até o final”.

Que neste dia esta possa ser a nossa oração:
“Senhor, dá-nos um coração aberto às necessidades do nosso próximo, daqueles que estão ao nosso lado, que estão necessitados de atenção, de ajuda. Que nosso testemunho de vida, Senhor, fecunde no coração daqueles que nos são próximos, a verdadeira vida de Cristo, que nos ama e se entregou por nós!”

Vamos viver bem a Quaresma, com um coração atento e disposto a amar os irmãos que Deus colocou em nossas vidas!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.