A importância do louvor

A mais bela oração é a de louvar a Deus, pelo que Ele é; sua grandeza infinita, seu poder absoluto e seu amor sem limites. A Igreja nos ensina que na eternidade louvaremos a Deus sem cessar. Santo Inácio de Loyola ensinou que este será o gozo da nossa alma. Então , a vida eterna consiste em “conhecer” e “louvar” a Deus.
Não é possível louvar a Deus sem conhece-Lo, Mas este conhecimento de Deus não é apenas teológico, intelectual, mas principalmente pela comunhão e participação de sua vida divina.

Ao contemplar a grandeza ou a beleza de suas obras, todas feitas para nós, com amor, sabedoria e perfeição, nosso coração exulta e nossos lábios devem cantar como o salmista. Os 150 salmos são a expressão de um coração apaixonado pelo seu Deus, e que exprime em prosas, versos, canções, gritos e júbilo, toda a sua alegria e todo o seu amor ao criador, e nele se abandona na alegria e na dor.
Assim o louvor é a expressão primeira e necessária de todo aquele que crê e que ama a deus. O salmista quer que tudo e todos, sem cessar, em todo o tempo e lugar, cantem as glorias do Senhor. O último dos salmos expressa essa “explosão” de louvor:

“Louvai o Senhor em seu santuário,
Louvai em seu majestoso firmamento.
Louvai-o por suas obras maravilhosas,
Louvai-o por sua majestade infinita.
Louvai-o ao som da trombeta,
Louvai-o com a lira e a cítara.
Louvai-o com tímpano e danças,
Louvai-o com a harpa e a flauta.
Louvai-o com símbolos sonoros,
Louvai-o com símbolos retumbantes.
Tudo o que respira louve o Senhor” (Sl 150)

È maravilhoso esse “tudo o que respira louve o Senhor!”

Santo Agostinho dizia que: “ Nossa meditação é uma espécie de treino no louvor do Senhor. Se a felicidade da vida futura consiste em louvar a Deus, como poderemos louva-lo se não fomos treinados? Louva e bendiz ao Senhor todos e em cada um dos teus dias para que quando venha esse dia sem fim, possas passar de um louvor ao outro sem esforço.”
Como não podemos passar o dia em louvor, apenas com os lábios, por causa das atividades, Deus nos deu uma outra maneira de louva-lo: cumprindo bem a sua vontade em tudo o que devemos fazer. Assim tudo será dirigido para a Sua glória.
“Tudo o que fizeres, faze-o bem e terás louvado a Deus” (Sto Agostinho). De nada vale louvar a Deus com os lábios e ser um preguiçoso, relapso nos serviços do seu estado, ou displicente na sua profissão. Pouco vale louvar a Deus com os lábios se não o louvar com a vida.

Extraído do livro So por ti Jesus – Ed. Cleófas


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.