Vou contar para tua mãe

Foi em 1926, na cidade Santuário de Lourdes, na França.

É hora da bênção dos doentes. Na esplanada estão centenas de doentes deitados em padiolas ou reclinados em cadeiras de rodas sob a assistência vigilante dos enfermeiros. Entre eles está um moço passando muito mal. Seu desenlace é esperado a qualquer momento. Instantes antes havia recebido a unção dos enfermos. O celebrante começou a percorrer as fileiras dos doentes. Segurando nas mãos o ostensório com a Hóstia Consagrada, ele passa de um e um, traçando sobre eles uma grande cruz.

Chega a vez daquele rapaz. Recebe a bênção com uma grande esperança. Mas parece que sua esperança foi frustrada… não sente melhora nenhuma. Reunindo todas as suas forças, diz num tom de sentida queixa:

– Jesus, tu não me curaste. Vou contar para tua Mãe!

Comovido com esta prece, o celebrante se volta para o enfermo e, pela segunda vez, abençoa-o com o Santíssimo Sacramento.

Eis que uma virtude sai do Filho de Deus: aconteceu o milagre! O moço, sentindo-se curado, saiu do leito e exclamou em alta voz:

– Jesus, Filho de Maria, tu me curaste! Vou contar para a tua Mãe e pedir que ela me ensine a agradecer!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.