Voto na Esperança, Luta e Labareda, diz bispo

Voto na Esperança, Luta e Labareda, arde em mim o peito inflado de amor pela vida. Sem esmorecer permaneço em vigília, atento na madrugada ao raiar de novo dia. Não será o fim, mas começo de longa jornada de trabalho duro para que todos tenham vida livre e digna.

Não vivo de ilusão, embora alimente sonhos desde minha juventude. Em terra distante, participei da marcha contra o racismo embalado pelo canto de vitória: We shall overcome!

Com cem mil flores e crianças nos braços, em São Bernardo do Campo encurralamos o poder do arbítrio, vencendo a fúria de Golias com as artimanhas e escaramuças do povo. Assim ressurgiu a democracia em nossa terra, depois de longo período de terror.

De forma livre e soberana vamos produzir nova ordem e imprimir novo rumo ao progresso para atender às exigências da cidadania, respeitando os limites da natureza e a solidariedade com os desvalidos do planeta.

Reunindo as diferenças em torno da mesa, com paciência e diálogo, acertaremos as bases de um novo país, nascido da vontade de todo povo, jamais milagre dos deuses ou concessão de quem quer que seja. As diferenças nos enriquecem, mas as desigualdades nos humilham e desfiguram.

Com desnutrição infantil zero, teremos um país sadio e feliz. Em nossa terra nenhum desabrigado. Nas casas não faltarão mesas, nem pão, aconchego e carinho. Toda criança terá acesso livre ao templo da sabedoria. A juventude dançará de alegria saudando o futuro, pois o amor não será estéril, nem a vida sem sentido. Idosos não sofrerão abandono, nas praças seus olhos brilharão de alegria.

As cidades estarão livres da corrupção, de violência, miséria e fome. Os campos, celeiros de paz, produzirão flores e frutos para alimentar a vida. Podemos saciar a sede e a fome de nossa gente, além de abastecer o mundo com os frutos da terra e do trabalho humano.

Cultivaremos a economia com mercado, não mais será adorado o Bezerro de Ouro. A solidariedade gerada pela comunhão não pactua com a discriminação, nem com a usura e a concentração de riqueza. A terra não mais será prisioneira do capital e do latifúndio.

No pluralismo da sabedoria e dos amores, saberemos promover a paz que abre caminho para a vida com dignidade e esperança para todos. Entre nós reinará a Ética, cabendo o comando à Política e ao Mercado, obediência!

Saberemos democratizar o saber, entregar à cidadania a gestão de canais de comunicação, controlar os meios de produção, discutir e aprovar o orçamento global e solidário, com decisões partilhadas e transparentes em todos os níveis.

Não brincaremos com estatísticas. No município o povo tem rosto, nome e endereço. A descentralização do país favorece a cidadania e desarma a corrupção.

Voto na Esperança, Luta e Labareda! Ao contrário do velho Simeão suplicarei que me seja dada muita vida para poder participar do Mutirão da Cidadania. Desejo descansar em paz quando não mais serei perturbado pelo choro das mães e a fome das crianças.

Dom Mauro Morelli
Fonte: Diocese de Duque de Caxias

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.