Você ama?

Sempre fui amante da leitura e, por causa disso, tive a oportunidade de apreciar muitos estilos literários, de poesia a prosa, de escritores renomados ou não. E foram abundantes as vezes em que o tema amor “apareceu” na história, mesmo quando eu lia um caso de mistério.

O homem não consegue fugir de sua busca de amor. O amor faz parte da vida humana e, sem medo de generalizar, ouso afirmar que todos amam alguma coisa nesta vida. Senão pessoas, amam o dinheiro, a profissão, os estudos, os vícios, o que é bom ou ruim, mas amam. O amor é tão imprescindível para a vida humana, quanto o oxigênio. Sem ele não se vive.

Sendo assim, descobri em mim grande disposição para amar. Amar quem de mim se aproxima, respeitando suas diferenças, seus medos, sua história, seus ideais opostos aos meus. Amar sem me deixar amedrontar pela cultura do prazer vão e passageiro, tão difundida na atualidade. Amar sem reservas, sem medo de ser mal interpretada, sem desconfiança, porque percebi que o amor tem imenso poder de cura e libertação.

Não posso mais desperdiçar as oportunidades que tenho para dignificar o outro e fazê-lo sentir-se importante, querido, amado. Ah se todos se dispusessem a agir assim! Basta amar!

O amor é completo. Mário de Andrade tinha razão quando afirmou que Amar é um verbo intransitivo. Não cabe a nós complementá-lo, apenas conjugá-lo…

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.