Vocações que nascem do amor para servir no amor

Agosto é mês vocacional. De fato:
1) – No dia 4, celebramos São João Maria Vianney, o Cura d’Ars, Patrono dos Presbíteros. Ganha destaque a vocação sacerdotal.
2) – No segundo domingo, dia 9, comemora-se o Dia dos Pais. Com eles, lembramos as famílias.
3) – Nos dias 15 e 16, Festa da Assunção de Nossa Senhora, comemoramos a vocação à Vida Religiosas.
4) – No domingo, dia 30, comemora-se o Dia Nacional do Catequista.

Presbíteros, pais e família, religiosos (as) e catequistas são vocações que nascem do amor e se realizam no amor. Nascem do amor de Jesus Cristo que se doa à humanidade para restabelecer o contato amoroso com o Pai, na força do Espírito Santo. Todos são convidados para a doação, isto é, para a santidade! Jesus chamou os Apóstolos para colaborarem em Sua Missão. Hoje continua chamando com amor e para servir no amor. “Deus nos ama, nos chama e nos envia em missão. Há várias formas de responder com amor a esse amor de Deus. Neste mês vocacional queremos ter presentes em nossas comunidades e paróquias as diversas vocações”.

Sobre a vocação e a vida dos presbíteros, eis como se pode visualizar o conteúdo do livro de Dom Rafael Llano Cifuentes – Sacerdotes para o Terceiro Milênio, Ed. Santuário: O sacerdote é chamado à santidade sacerdotal, a viver o celibato como afirmação jubilosa e fecunda, a buscar a maturidade afetiva, a ser livre na pobreza; a viver na humildade e sinceridade aceitando a si mesmo com coerência, autenticidade, transparência e amor humilde; a cultivar a vida de oração, a ter o amor como paixão. Assim será como o Bom Pastor! “O sacerdócio está gravado, de forma indissolúvel, no nosso ser. E parece que grita: “Sacerdos in Aeternum!”.

Podemos ficar desanimados… Nesse momento delicado, temos de descer até nossas raízes mais íntimas e encontrar força no chamado divino pessoal: “O Senhor escolheu a mim, pessoalmente, antes da constituição do mundo. Sou sacerdote para sempre!… Maria Santíssima trouxe para a Terra o Filho de Deus uma vez na história. Eu, com a força da minha palavra sacerdotal, posso trazê-Lo todos os dias na Santa Missa…” (pg. 14-15). “Como é bom perceber o amor e dedicação dos nossos padres nas comunidades e paróquias! Rezemos para que eles possam com amor seguir a Jesus Cristo nessa vocação”, escreve uma religiosa que atua em nossa Diocese.

No Ano Sacerdotal proposto pelo Santo Padre, é importante o lema: “Fidelidade de Cristo, Fidelidade do Sacerdote”. “Deixar-se conquistar totalmente por Cristo! Este foi o objetivo de toda a vida de São Paulo; esta foi a meta de todo o ministério do Santo Cura de A’rs, a quem invocaremos particularmente durante o Ano Sacerdotal” (Bento XVI, Homilia de Abertura do Ano Sacerdotal).

Vocação Matrimonial na Família: As pessoas que se unem em matrimônio por amor, expressam o amor de Deus na família: pais, mães, avós, tias, tios, filhos e filhas. Vivem no dia a dia o amor. O casal e a família são uma “pequena Igreja”. Cristo está presente porque há um pacto de amor entre eles, uma verdadeira “aliança” – no sentido bíblico.

Como é importante pensar na família que começa e persevera no amor; que gera filhos e os faz crescer no amor! Este fato é capaz de reverter a violência e o desrespeito pela vida que grassam na sociedade de hoje. Não é com prisões que se supera a violência. Elas também são necessárias – infelizmente! Mas que o sejam para os casos extremos, que, por sinal diminuiriam, se as famílias vivessem sua vocação de amor e de educadoras para o amor. Procuremos incentivar a Pastoral Familiar, a Comissão em defesa da Vida e o CENPLAFLAM, entre outras iniciativas pastorais.

O Documento de Aparecida recomenda: “Visto que a família é o valor mais querido por nossos povos, cremos que se deve assumir a preocupação por ela como um dos eixos transversais de toda a ação evangelizadora da Igreja. Em toda diocese se requer uma pastoral familiar “intensa e vigorosa” para proclamar o evangelho da família, promover a cultura da vida, e trabalhar para que os direitos das famílias sejam reconhecidos e respeitados” (n. 435)

Vocação consagrada das religiosas e religiosos – Com alegria vemos em nossa diocese 26 comunidades de religiosas e 13 comunidades de religiosos, que por amor seguem a Jesus Cristo numa vida de oração e dedicação ao próximo. “A partir do seu ser, a vida consagrada é chamada a ser especialista em comunhão, no interior tanto da Igreja quanto da sociedade” (DA, 218). Rezemos por todos e por novas vocações por amor.

Catequistas: É também uma vocação por amor. Quem se doa como catequista é porque segue a Jesus Cristo e por isso transmite Seus ensinamentos. “É hora de despertarmos para a consciência de que a catequese é uma dimensão intrínseca de toda ação evangelizadora e que toda a Igreja assuma uma nova concepção de catequese como processo formativo, sistemático, progressivo e permanente de educação da fé, da esperança e do amor” (Diretório Nacional de Catequese). Estamos em pleno ano catequético, com intensa programação também em nossa Diocese (cfr. Pág. 5 do Presença Diocesana de julho 2009). Acolhamos a chama catequética que percorrerá nossas cidades, em setembro e outubro.

Que Nossa Senhora Aparecida abençoe as vocações. Em nossa Romaria a Aparecida rezamos pelos sacerdotes, pelo Ano Sacerdotal, pelo Seminário São José e por todas as vocações. Rezamos também pela família, pelos jovens e pela catequese!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.