Vocação, o chamado divino

Nenhum ‘átomo’ do mundo surgiu por acaso, ou seja, nada existe no mundo sem um plano divino.

Quando recebemos a chave dos sacramentos, o Batismo, nos é dado uma vocação importantíssima: a santidade. Essa é a vocação de todos os cristãos. Deus deseja que sejamos construtores e aperfeiçoadores de suas obras. Por isso, nos compete também outras vocações.

Muitos pensam que a palavra vocação se relaciona intimamente com a palavra sacerdócio. Isso não é verdade, a vocação engloba também o matrimônio e as vidas religiosas (freiras, leigos consagrados, missionários). Essas vidas religiosas são uma das escolhas de muitos, que preferem viver um total desapego às coisas materiais – voltando-se ao serviço de Deus.

Deus chama também muitos homens a seguir o sacerdócio (sacer = sagrado; dócio = dom), ou seja, viver também em espírito de fraternidade e serviço a Deus (padres religiosos e diocesanos).

Deus suscita também muitos para que sigam a vocação familiar, ou seja, construir uma família cristã, com pensamentos retos e voltados ao Senhor Jesus Cristo. Muitos pensam que é fácil seguir esse sacramento, mas nada disso é verdade.

Os sacramentos são divididos em: sacramentos de iniciação cristã (Batismo, Crisma e Eucaristia), sacramentos de cura (Confissão e Unção dos Enfermos) e sacramentos de serviço (Matrimônio e Ordem).

Da mesma maneira que a Ordem é um sacramento de serviço e doação a Deus, o Matrimônio tem a mesma finalidade. Logo, a vocação é para todos, e para conhecê-la é muito importante antes discerni-la, para saber se é isso mesmo que Deus quer para você. Por isso vamos viver intensamente esse Plano de Deus e procurar a cada dia cumprir a vocação de todos nós: a santidade!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.