Via-Sacra On-Line

I Estação – Jesus é condenado à morte
Por sentença de Pilatos o Senhor do céu e da terra foi despido, preso a uma coluna, açoitado com rigor, vestido de zombaria, escarnecido, coroado com penetrantes espinhos, e finalmente, condenado à morte.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó meu Jesus, foram meus pecados que à morte vos levaram. Livrai-me por ela da sentença da morte eterna, que tantas vezes mereci.

V. Meu Jesus, misericórdia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

II Estação – Jesus toma a cruz aos ombros
Puseram sobre os ombros magoados e ensanguentados do Senhor o pesado lenho da cruz, para, no Calvário, cercado de algozes, ser nele pregado.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Inocentíssimo Jesus, essa cruz não devíeis arrastá-la vós, mas sim eu, miserável pecador, carregado de todo o gênero de iniquidades. Fazei que chore meus pecados, enquanto me durar a vida.

V. Meu Jesus, misericórdia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

III Estação – Jesus cai pela primeira vez
Jesus, fatigado do caminho e enfraquecido pela perda de sangue da cruel flagelação e coroação de espinhos, cai sob o peso da cruz, abrindo-se de novo as feridas e chagas.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Foi o peso enorme de meus pecados que vos prostou, ó meu Jesus; quero detestá-los para sempre e deles peço perdão.

V. Meu Jesus, misericórdia.
R. Doce coração de Maria, sede minha salvação.

IV Estação – Jesus encontra sua aflita Mãe
Indo o amantíssimo Jesus com a cruz em seus ombros, preso com uma grossa corda ao pescoço, em tão lastimoso estado encontrou sua mãe triste e aflita.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó aflitíssimo Jesus! Ó virgem dolorosa! Fui eu quem com meus pecaados dei causa às vossas dores. Fazei que eu tenha vivo arrependimento deles e os chore até o derradeiro suspiro.

V. Meu Jesus, misericórdia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

V Estação – Simão Cirineu ajuda Jesus a levar a cruz
Obrigaram a Simão Cirineu a ajudá-lo a levar a crua, não movidos por caridade, mas temendo que Jesus no caminho morresse, pois queriam crucificá-lo vivo, para fazê-lo mais padecer.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó amorosíssimo Senhor, quem me dera que eu vos ajudasse a levar a cruz.
Fazei que eu de boa mente suporte as cruzes e penas desta vida por amor de vós e em expiação de meus pecados.

V. Meu Jesus, misericórdia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

VI Estação – Verônica enxuga o rosto de Jesus
Verônica, vendo coberto de escarros, poeira, suor e sangue o rosto de Jesus, rompe as fileiras de bárbara soldadesca e limpa-o com uma toalha,, na qual ficou estampado o retrato do Senhor.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó benigníssimo Jesus, dos filhos dos homens o mais belo! A que estado vos reduziu vosso amor por mim! Rogo-vos esqueçais minhas ofensas e imprimais em minha alma a lembrança de vossos cruéis sofrimentos.

V. Meu Jesus, misericórdia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

VII Estação – Jesus cai pela segunda vez
Jesus cristo cada vez mais enfraquecido e debilitado, cai a segunda vez em terra por lhe faltarem de todo as forças, e porque o grande peso da cruz lhe tinha feito uma penosa chaga no ombro.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

São as recaídas, ó meu Jesus, que vos fizeram cair de novo cair em terra. Dai-me a graça de não tornar a cair para o futuro.

V. Meu Jesus, misericóridia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

VIII Estação – Jesus exorta as mulheres de Jerusalém
Começam a chorar de sentimento umas piedosas mulheres de Jerusalém, por verem a Jesus em tão lastimoso estado. O salvador, ocupando-se delas bondosamente, recomenda-lhes: “Não choreis por mim, mas sobre vós e vossos filhos”.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Quem dera, Jesus, que se abrissem meus olhos em lágrimas para chorar por mim e por vós. Por mim, o muito que vos tenho ofendido; por vós, o muito que vos vejo padecer por meu amor.

V. Meu Jesus, misericóridia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

IX Estação – Jesus cai pela terceira vez
O pobre Jesus, quase morto e não podendo já ter-se em pé, cai terceira vez com a cruz em terra, chegando a ferir nas pedras seu santíssimo rosto.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó meu Jesus, reconheço que as reincindências nas minhas culpas são a causa de vossas repetidas quedas. Ajudai-me a não cair mais em pecado.

V. Meu Jesus, misericóridia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

X Estação – Jesus é despojado de suas vestes
Arrancaram o castíssimo Jesus, à vista de grande multidão de espectadores, as vestes, pegadas pelo sangue e tantas chagas que lhe cobriam o sagrado corpo, e deram-lhe a beber vinagre e fel.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó Jesus, para me restituirdes o vestido nupcial da graça e inocência, consentis que vos dispam à vista de inumerável povo. Perdoai-me e preservai-me do pecado, especialmente de toda a impureza.

V. Meu Jesus, misericóridia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

XI Estação – Jesus é pregado na cruz
Obedecendo o Senhor aos algozes, estendeu-se sobre a cruz, e eles, com fortes pancadas de martelo, cravaram os pregos em suas mãos e pés, rasgando suas carnes e veias, deslocando seus ossos, derramando seu sangue em rios e esgotando-lhe todas as forças.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó meu Jesus, pelas mortais angústias que sofrestes na crucificação, fazei que eu mortifique minha carne com todas as suas vontades.

V. Meu Jesus, misericóridia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

XII Estação – Jesus morre na cruz
O redentor do mundo, depois de três horas de tormentosa agonia, entre insultos e blasfêmias dos espectadores, exala o último suspiro.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó meu Jesus, eis o cruel algoz que vos matou: fui eu Senhor; meus pecados foram outros tantos punhais que vos tiraram a vida. Perdoai-me vós, que tendes os pés atados para me esperar, os braços estendidos, para me receber, a cabeça inclinada, para me dar um beijo de paz e reconciliação.

V. Meu Jesus, misericóridia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

XIII Estação – Jesus é descido da cruz
Maria Santíssima recebe em seus braços o corpo de seu divino filho; comtempla seu rosto pálido, ensangüentado e desfigurado; vê-lhe os olhos extintos, a boca fechada, o peito, as mãos e os pés transpassados.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó Maria, aflita mãe, sou eu que devo chorar, por ser o culpado nos tormentos do vosso filho e nas vossas dores. Dignai-vos obter-me perdão e concedei-me adorar em vossos braços meu Redentor.

V. Meu Jesus, misericóridia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

XIV Estação – Jesus é depositado no santo sepulcro
O sacratíssimo corpo do Redentor, depois de ser ungido, foi depositado no sepulcro por Maria Santíssima e outros fiéis que a acompanharam no piedoso enterro de seu divino filho.

V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
R. Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

Ó Maria, mãe dolorosa, acrescentei com minha ingratidão novos tormentos à vossa soledade. Prosto-me hoje arrependido a vossos pés, pedindo-vos perdão de minhas culpas. Sede minha protetora junto de vosso filho e recebei-me em vossos braços na hora da minha morte.

V. Meu Jesus, misericóridia.
R. Doce Coração de Maria, sede minha salvação.

Oração

Ó Jesus, redentor e salvador meu, conheço e confesso que, ainda que vos amara com amor que vos têm os justos, santos e serafins, não corresponderia ao amor com que por mim destes a vida. Mas, ai de mim! Quantas vezes o ofendi! Pesa-me de não vos ter amado, mas desprezado e ofendido. Proponho firmemente emendar-me e nunca mais pecar. Ó Maria, minha mãe, intercedei por mim junto ao trono de vosso divino filho. Amém.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.