Vaticano divulga manualanti-drogas

Foi apresentado nesta manhã na Sala de Imprensa da Santa Sé, o novo Manual de Pastoral ‘Igreja, Droga e Toxicomania’, elaborado, a pedido do Papa, pelo Pontifício Conselho para a Pastoral da Saúde.

O Manual foi apresentado por Sua Excelência Dom Javier Lozano Barragán, Presidente do Pontifício Conselho para Pastoral da Saúde que ao explicar os motivos do documento disse que depois de um longo caminho aquele organismo vaticano estava em grau de apresentar este Manual de Pastoral sobre ‘Igreja, Droga e Toxicomania’.

Ele recordou que no início de 1997 o Santo Padre confiou ao Pontifício Conselho para a Pastoral da Saúde o dever de interessar-se pelo problema dilacerante das drogas no mundo. Desde então, continuou Dom Barragán, organizamos uma série de estudos, reuniões, Congressos internacionais, criamos grupos especiais de trabalho, para realizar da melhor maneira possível o pedido de João Paulo II.

Segundo Dom Barragán muitos Bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas, pais de família angustiados também se questionaram: o que podemos fazer como cristãos, ante o mundo da droga? Com o Manual não pretendemos oferecer uma resposta definitiva mas dar indicações que possam ajudar no trabalho pastoral.

O organismo vaticano se diz sabedor de que existem muitos métodos, muitas experiências de pessoas totalmente e heroicamente dedicadas este trabalho pastoral. “Respeitamos toda esta pluralidade, às vezes não muito harmônica, de estradas que são tomadas, para prevenir e curar, no mundo da droga; aqui não entendemos propor um novo método, mas dar uma resposta simples, como um guia prático, a perguntas que nos parecem importantes e de um certo modo básicas para agir pastoralmente e que talvez possam servir também àqueles que com tanta dedicação e solicitude se especializaram neste campo.”

Dedicamos este manual aos Bispos, em cujas Dioceses se apresentam tantas vezes este problema que constitui um aspecto que não consegue ser enfrentado pela pastoral da juventude, apesar de a droga não atingir só o mundo dos jovens, mas também o das crianças e não poucos adultos.

É óbvio que esta dedicação, segue Dom Barragán, é também dos sacerdotes e dos outros trabalhadores pastorais que, junto com o Bispo, realizam a obra de tornar sempre atual a presença do Reino de Deus no mundo. Na nossa intenção devem participar também os pais que têm filhos tóxico-dependentes e não sabem como ajudá-los; também tem as famílias, às quais nos dirigimos fortemente.

O mundo dos políticos é muito importante neste flagelo e o resultado que se obtém para freá-lo depende muito de suas atitudes. Também a eles dedicamos o nosso manual que certamente nos ajudará a realizar a delicada e difícil missão à qual se consagraram para preservar e curar tantas pessoas que sofrem por este terrível mal.

O manual leva em consideração os jovens; gostaríamos que o usassem como um instrumento feito para prevenir este mal e sair da tóxico-dependência. Os professores da escola em todos os níveis, em particular das elementares, podem dar aos seus alunos uma informação e uma educação adequadas sobre este problema da droga. A eles dedicamos com particular atenção o nosso manual, como também a todos aqueles que se interessam por esta problemática tão grave do nosso tempo.

Uma outra novidade é que o manual se abre com as palavras do Santo Padre sobre este grave problema. Os capítulos que formam o Manual são um tipo de comentário sobre Suas palavras.

No documento o Papa fala de três ações particulares para uma pastoral enfrentar o problema da droga: prevenção, cura e repressão. No manual vêm contempladas as duas primeiras: a prevenção e a cura. Não vem tratada a repressão, à qual o Papa faz referência afirmando que todos devemos lutar contra a produção, a elaboração e a distribuição da droga no mundo e que é particular dever dos governos combater com coragem esta luta contra os ‘traficantes de morte’. Este ponto não será desenvolvido no manual, porém o presidente do Pontifício Conselho para a Pastoral da Saúde pede que todos se unam às palavras do Papa e que lutem sem reservas contra a droga.

O segundo capítulo fornece informações práticas sobre as diferentes drogas, examinando o problema da toxicomania também sob o ângulo da dependência. O terceiro capítulo propõe uma reflexão sobre a questão da liberdade e sobre a descoberta do sentido do prazer e da felicidade, para mostrar que toda pessoa é chamada a construir a própria vida com elementos positivos e a aprender o amor pela vida.

O quarto capítulo se ocupa dos temas da educação e da prevenção como meios fundamentais de luta contra a toxicomania; o quinto capítulo apresenta as atitudes pastorais e o delicado ministério de guia espiritual dos toxicômanos e de suas famílias, considera o comportamento do tóxico-dependente e a sua assistência espiritual.

O Manual será publicado simultaneamente em quatro línguas: italiano, francês, espanhol e inglês, e a edição está aos cuidados da Tipografia Vaticana.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.