Uma questão de Consciência!

A vida humana é um mistério ainda não revelado pela ciência. Neste mistério existe uma série de componentes que expressam o comportamento humano, que é muito questionado nas mais diversas Ciências. Todos se perguntam, questionam, mas ninguém chegou ainda a uma conclusão. Porque as pessoas se culpam tanto? Porque os seres humanos tem comportamentos estranhos a ponto de não conhecer a si próprios através dos atos que cometem? Questionam, e as vezes busca soluções lógicas para os mesmos.
Como funciona a questão da consciência humana? Aqui, falaremos sobre a questão da consciência e a religião Cristã.

Acreditamos que esse é o caminho para se chegar ao alívio da consciência. Isso quando já se tem uma consciência formada ou em formação dentro dos valores cristãos.

A grande esperança é a volta de Jesus, que restaurará o homem velho, chagado, cheio de culpas, transformando-o numa nova criatura. A fé em Deus Pai, Filho e Espírito Santo, o reconhecer o outro como irmão vendo nele a face de Cristo dando seu testemunho de fé e caridade, esses serão agraciados na vinda do Filho de Deus que virá julgar a todos conforme as suas obras. “O filho do homem virá (…), e então retribuirá a cada um de acordo com a sua própria conduta. (Mt 16,27). Com isso os cristãos sentem-se na responsabilidade de procurar agir bem em todas as coisas, quando catequizados, tem plena consciência de que prestarão contas de todos os seus feitos; grandes e pequenos.

“A nação conexa do Julgamento de Deus adquire assim uma importância singular, conforme nos lembrava um antigo texto litúrgico, o cântico do Dies Irae, utilizado na liturgia dos defuntos:

E quando o juiz tomar assunto,
E trouxer a plena luz os feitos escondidos,
Nem o menor erro ficará impuro” (O homem e sua religião – Jeam François Catalan)

É necessário que haja responsabilidade pessoal, e não atribuir aos outros e andar na verdade.

O ano de 2000 foi o ano Jubilar, o ano do perdão. O Santo Padre, o Papa João Paulo II, pediu perdão publicamente em várias partes do mundo por causa dos diversos erros cometidos por ministros da Igreja – A Igreja que é Santa mas, formada de pecadores. Essa decisão do Santo Padre foi causa de escândalo para muitos, mas ele como chefe da Igreja e do Estado, teve a consciência e reconheceu as falhas não se omitindo a elas.

Isso porque para nós cristãos, não existe uma segunda vida, após a morte segue-se o juízo, onde cada um dará conta de seus atos.

“A verdade como retidão do agir e da palavra humana tem o nome veracidade, sinceridade ou franqueza… os homens não poderiam viver juntos se não tivessem confiança recíproca, quer dizer, se não manifestassem a verdade uns nos outros. A virtude da verdade devolve ao outro o que lhe é devido”. ( cf. CIC P.636, ns. 2468, 2469)

Jamais poderei aliviar minha consciência culpando os outros. Seria aumentar minha falta de zelo para comigo mesmo e com os outros. Não é este o procedimento correto para um Cristão. O caminho para o alívio da consciência é encarar a sua verdade e viver o amor mútuo para com todos.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.