Tens convicções?

Certa vez, um mestre perguntou a alguns jovens: “Tens convicção do que queres para vós?” Todos ficaram calados e ele disse mais: “Diga-me quais a tuas convicções e eu te direi quem és.”

Digo isto, porque estava na sala meditando sobre esta colocação e me questionei também, mas, tive que de dar uma resposta a mim mesmo, dizendo quais eram as minhas convicções. Dentre tantas, estou convicto de que na Canção Nova eu preciso viver a obediência a todo custo, é ela que dá grande valor à minha consagração, mas não foi feita para ser vivida somente pelos consagrados. Estou convicto também, de que há maior alegria em dar do que receber e que o irmão precisa ser servido com qualidade para poder crescer sem deformações. Estou convicto de que o meu olhar precisa estar fixo no horizonte, que é Deus, para não me desviar e agredir o Seu coração, e por aí vai…

Jesus Cristo, em sua missão na terra, tinha uma convicção, a de que teria de viver a humanidade em tudo, porém sem pecar, e ainda sofrer até o extremo para salvar a humanidade. Satanás quis negociar essa convicção: “Dar-te-ei todo este poder e a glória desses reinos, porque me foram dados, e dou-os a quem quero. Portanto, se te prostrares diante de mim, tudo será teu.” (Lc 4,6-7). Jesus me ensinou aqui, que minhas convicções não podem ser negociáveis. Se você respondeu que tem convicções, fico muito feliz. Agora, faço outra pergunta: “Elas são negociáveis?”

Se você estiver convicto de que, hoje, a vida foi feita para curtir sem compromisso e que tudo que o mundo oferece foi feito para ser desfrutado, me desculpe, mas suas convicções já foram negociadas em alguma fase da sua vida, que talvez você nem se lembre. Fico triste quando vejo jovens que eram líderes na Igreja e “arrastavam” muitos outros jovens para Deus, vivendo uma vida desregrada, porque venderam suas convicções.

Sempre é tempo de retomar as convicções boas, que têm como finalidade, agradar o coração de Deus. Convido você, jovem, a reavaliar suas convicções e se esforçar em viver as que o levam para Deus. Vamos fazer o seguinte: você que tem vontade de partilhar suas convicções, mas nunca encontra ninguém, escreva para mim e partilhe comigo, talvez eu o ajude a retomar muitas delas.

Um grande abraço! Que Deus o abençoe.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.