Sua história regada no amor

Quando analiso minha história de vida, me percebo como um milagre.

Alguns, olhando sua vida de fartura, carinho familiar, amor de pais e irmãos, com bens materiais, conforto, presentes, modelos familiares, formação moral, se alegram ao ver nesses acontecimentos a presença e o carinho de Deus por eles.

Outros, quando começam a rever suas vidas, vão recordando, muitas vezes com lágrimas, toda a carência física, material afetiva e espiritual que viveu. Desde sua concepção, sentiu-se rejeitado, seus pais não esperavam pelo seu nascimento, chegaram mesmo a se assustar com o resultado do teste de gravidez. Na sua casa vivia-se uma carência geral, você não tinha berço, sua mãe não teve médicos, faltava carro, o dinheiro era contado ou havia grandes dívidas, pais ocupados, preocupados e nervosos.

Observe se a sua história é parecida com a do Mestre. Ele tinha um pai adotivo trabalhador, honesto, fértil e, que descobre sua noiva grávida. O que será que José sentiu? Susto, vergonha, medo, tristeza, decepção? Sabemos que ele planejou fugir. E a Mãe, que já no início da gestação viaja de forma desconfortável para ser doméstica e babá de sua prima volta, e, provavelmente fica esperando do Pai uma solução para a sua gestação antes do casamento.

Deus Pai dá a Jesus um pai adotivo, carpinteiro que o acolhe e vai arrumar o lar de forma simples, fez um berço que Jesus nem conheceu e leva sua Esposa para uma viagem longa em um burrinho. Imagine quantas peças de roupas, fraldas Ela tinha em mãos na hora do parto. E que maternidade é aquela num estábulo, perto de animais. Os seus vizinhos atuais, pastores vão visitá-los e nem levam presentes. Os reis levam incenso, ouro e mirra. Prova do reconhecimento da divindade de Jesus, o Messias, o Ungido, o Filho de Deus. O mais importante os reis magos deram a Jesus: a possibilidade de estar vivo (cf. Mt 1,11s). Jesus agora pode caminhar para a Sua missão.

E pensar que tudo isso aconteceu, porque Deus quer a sua salvação. A história da Salvação da humanidade é a sua história de salvação. Pois, desde a criação do mundo, Deus já pensou em você, deu-lhe a vida e uma missão. Deus nós dá dons especiais para realizar a nossa missão; somos protagonistas da historia de salvação.

Santo Agostinho diz que “o Amor reconstrói o passado”. O amor é a memória que não só relembra e registra, mas também reconstrói o passado. Quando a amabilidade se torna estilo de vida e está profundamente enraizada na pessoa, tem um efeito transformador. Modifica a percepção que a pessoa tem de si mesma e dos outros, do passado e do futuro. Faz com que sinta de modo novo a responsabilidade que ele tem em relação à vida.

Como uma noiva que guarda a aliança, devemos guardar o dom dado a nós por Deus. Como uma flor em botão que vai se abrindo à graça e exalando seu perfume, é fruto de uma semente que “apodreceu” e morreu, para que a planta, o caule, as folhas, os espinhos, as flores, o perfume estivessem em nosso meio. Chiara Lubich nos diz: “Não podemos entender o período doloroso da nossa história, se não levamos em conta os períodos sucessivos e, principalmente, o presente. (…) Sem efusão de lágrimas, não existem transformações radicais de almas” Mudar não é fácil, não é rápido. Mudar é um processo contínuo e, é preciso revisão de vida para haver mudança.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.