Sou um milagre

Há algum tempo tenho sido tocada a escrever sobre esse tema. Olhando para a minha vida e toda a minha história, posso testemunhar: Sou um milagre! Desde o momento em que fui concebida no ventre de minha mãe, até hoje, posso contemplar Deus agindo prodigiosamente em mim.

Graças a Deus, vejo Sua presença em tudo: numa pequena flor, tão delicada e ao mesmo tempo tão bela, que traz em si o esplendor da criação… no pôr-do-sol, quer algo mais magnífico do que ver esse grande espetáculo? No entanto, muitos o ignoram, alguns até vêem e aplaudem, mas se esquecem quem é o Autor, Aquele que nos fez a Sua imagem e semelhança. Isso me faz recordar aquilo que o Pe. Leo diz em seu livro (Experienciar Milagres).

“O ser humano ultrapassa seus sofrimentos e suas próprias limitações, pois é a imagem e semelhança de Deus. Esse Deus que se manifesta através de inúmeros milagres.”

Mas devo confessar que nem sempre foi assim, nem sempre contemplei “em tudo” a presença de Deus, por muito tempo vivi na “cegueira” que me impedia de ver nos detalhes os milagres de Deus e o quanto sou amada por Ele.

Quantas pessoas hoje em dia vivem assim, sem saber que são verdadeiros mil milagres!

Vejo que a primeira atitude que devemos tomar, é nos conscientizar do quanto somos amados por Deus, pois Ele jamais nos esquece: “Acaso uma mulher esquece o seu neném, ou o amor aos filho de suas entranhas? Mesmo que alguma se esqueça, eu jamais me esquecerei!” (Isaías 49, 15).

Eu posso me comparar com uma planta, que não foi regada, não recebeu luz, nem o ar tão necessário para o seu crescimento e desenvolvimento, mas que mesmo assim cresceu, retirou forças de suas raízes, lutou, quis viver e hoje dão frutos, maravilhosos frutos!

Trazendo para a nossa realidade, da mesma forma, muitas pessoas não receberam o amor e o carinho que esperavam e necessitavam, pelo contrário, sofreram decepções, abandono e desprezo, mas (e aí está o mais belo) ao invés de produzir fel, produzem mel.

Tomaram a importante decisão de deixar Deus curar seus corações (suas raízes). E quando deixamos Deus curar o nosso interior, aqueles que estão ao nosso redor também podem contemplar a mudança no nosso exterior.

Porque, “…quando permitimos que Deus cure nosso coração, essa cura se externaliza também em cura física”, nos tornamos mais belos, pois não são mais a s feridas que prevalecem em nós, e sim o amor de Deus. Já diz a belíssima canção: “Mesmo se não te amaram, Se com amor não te olharam, o Pai sempre te amou e ama. Deus com amor sempre te olhou”.

E é essa a graça que peço a Deus, que através do Seu infinito amor a verdade se revele ao seu coração, como um dia se revelou ao meu: Você é um milagre!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.