Sob o véu da Eucaristia

Na carta Apostólica Mane Nobiscum Domine (“Fica conosco Senhor” – Lc 24, 29), o saudoso pontífice João Paulo II apresentou a importância desse ano Eucarístico. Ele já tinha nos dado a encíclica sobre a eucaristia (Ecclesia de Eucharistia) onde mostrou, profundamente, a importância desse sacramento.

Sob o véu da Eucaristia, Cristo permanece conosco e cumpre, de maneira suprema a sua promessa de “permanecer conosco todos os dias até o fim do mundo” (Mt 28,20). Por ela, o Cristo torna presente, em todo tempo, o mistério de sua morte e ressurreição redentora do mundo. É o “pão descido do céu” (Jo 6,51), pelo qual podemos experimentar antecipadamente o eterno banquete.

O missal Romano afirma que “na Santíssima Eucaristia, a mãe Igreja reconhece com fé firme, acolhe com alegria, celebra e venera com atitude adorante, o sacramento da redenção, anunciando a morte de Cristo Jesus, proclamando sua ressurreição, na expectativa da sua vinda na gloria, como Senhor e dominador invencível, Sacerdote Eterno e Rei do Universo, para oferecer á majestade divina e infinita do Pai Onipotente, o reino de verdade e de vida”.

A Missa não é apenas representação sagrada da ceia no cenáculo. Ela atualiza, aqui e agora, a morte e a ressurreição do Senhor, na esperança da sua vinda futura. Cada cristão deve compenetrar-se desta “admiração”, para vivificar a liturgia eucarística do Dia do Senhor. Os sacerdotes são presidentes da assembléia eucarística e não meros funcionários de celebração de varias missas. O sacerdote é “um outro Cristo” no altar do Sacrifício e na mesa do Banquete.

O Papa João Paulo II convidou todos a “celebrarem o sacrifício eucarístico com o empenho que merece, prestando a Jesus, presentes na eucaristia mesmo fora da Missa, um culto de adoração digno de tão grande mistério”, propondo novamente a exigência duma espiritualidade eucarística, indicando por modelo, Maria, como “como mulher eucarística”.

Preocupado com os erros e abusos que se contem nas celebrações, João Paulo II pediu que a sagrada congregação do Culto divino e Disciplina dos Sacramentos e foi publicada em março de 2004. Nesta instrução, são apontados os erros e abusos que se devem evitar na celebração da Missa, o que faz dela um material de estrema importância para todos os católicos.

O ano Eucarístico foi, portanto, o coroamento das atividades do Papa João Paulo II, um marco final de seu pontificado e que , sem duvidas, haverá de dar muitos frutos.


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.