Setembro

Assim como as flores abrem-se para receber o orvalho da manhã, para serem polinizadas pelas abelhas, passarinhos e outros bichinhos, a atitude de quem quer viver esse lindo tempo da primavera deve ser de ABERTURA.

Vivemos tempos difíceis, em que cada vez mais as pessoas se fecham, trancando-se em suas casas com medo da violência.

Ao mesmo tempo o sorriso foi fechado também, pois a desconfiança do outro fez com que muitos se isolassem no seu medo, e isso semeado no coração fez brotar a indiferença…

Mas dizia o poeta: “Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos, quero ver brotar o perdão onde a gente plantou, juntos outra vez…”

Como querer o fruto, a colheita, se não se viver a ABERTURA da primavera, abrir-se para ser fecundado?

A natureza fala muito, o silêncio das flores abrindo-se, enfeitando vasos e matas é um grito de esperança, de beleza na vida, de harmonia, de preparação do fruto que vem.

A expectativa é que toda essa dinâmica de abertura da natureza contagie a nossa humanidade, e, cada um de nós, vendo a alegria, simplicidade da natureza, entremos de cheio também nesse processo de deixar a luz do céu entrar e florescer o amor, a paz…

A natureza é uma declaração de amor de Deus Pai para nós, não podemos ser insensíveis à mensagem que Ele nos dá.

É primavera, se quisermos o fruto, é preciso abrirmo-nos como as flores.
É esse o tempo que estamos: tempo de ABERTURA, e, quem chegar… seja bem-vindo!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.