Santo André Avelino

Neste dia em que celebramos a santidade da vida de André, não podemos deixar de citar a festa da dedicação da Basílica do Latrão, pois é honrada e chamada de ‘mãe e cabeça de todas as igrejas da Urbe e do Orbe’, já que foi a primeira igreja construída em Roma, pelo imperador Constantino.

Todos os Batizados são chamados filhos da Mãe Igreja, por isso ela apresenta seus filhos santos a cada dia, a fim de mostrar-nos o fim que espera aos odedientes que honram sua Mãe e Esposa do Cristo. Assim viveu Santo André, que nasceu em Nápoles em 1520 numa família cristã inserida na realidade da Igreja e morreu, ou melhor, entrou na Igreja Triunfante no ano de 1608.

Santo André Avelino depois de formado em advocacia a abandonou quando se viu caindo em mentiras, e abandonou-se em Deus para viver sua vocação Sacerdotal, e introduziu nas casas religiosas as exigências do Concílio de Trento, como um arcebispo o designou. Por ‘sentir com a Igreja’ Avelino que entrou na família Teatina, fez tudo em comunhão e buscando a comunhão com outros, mas nada o impediu de sofrer e avançar, pois sua espiritualidade lhe assegurava que ‘tudo o que eu faço e sofro, que é isso em comparação com o que Jesus fez e sofreu por mim? Quem me dera que em sua honra fosse flagelado, pregado na cruz e assim pudesse exalar meu suspiro!’.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.