Reavivar nossa memória

A Liturgia Católica não só visa manifestar a mistério de Cristo e a genuína natureza da Igreja, como também comemora, através de festas e solenidades, os santos do calendário cristão. Os grandes momentos da história da salvação e os fiéis seguidores de Jesus Cristo estão sempre presente na memória litúrgica.

O ponto de partida foi a Última Ceia, na Quinta-feira Santa. Ao instituir a Eucaristia, Jesus ordenou os Apóstolos: “Fazei isto em memória de Mim”. Desde então, a Igreja não tem cessado de cumprir a vontade do Senhor.

A carta dos Hebreus (13,7) sugere que sejam lembrados, entre os cristãos, os dirigentes que anunciaram a Palavra de Deus. A recomendação de Cristo e a do autor da carta se uniram e formaram a ação sagrada por excelência. Em cada Missa, faz-se a grande memória da morte e ressurreição de Jesus Cristo.

A idéia de colaborar para se avive a memória daqueles que nos precederam na caminhada cristã, com sua fé viva e suas iniciativas para dinamizar o anúncio da mensagem evangélica, foi assunto de uma conversa com Padre Róger com o autor deste artigo. E o encontro terminou com um pedido: que eu ajudasse no programa “Memória” que pretende iniciar na Canção Nova, através da Internet.

Resgatar a memória dos que vêm trabalhando na Evangelização permanente e focalizar os que estão empenhados numa Nova Evangelização – é uma atividade necessária para todos os que estão comprometidos com o Reino de Deus. Assim vão rememorando o que Deus fez e faz para nós e nos reavivam o caminho.

Prometi ajudar o padre Roger, aproveitando um pouco da experiência de 60 anos de vida Sacerdotal e das freqüentes leituras que continuo a fazer. O programa “Memória”, segundo seu idealizador, não quer polemizar, mas somente tirar da sombra do esquecimento pessoas, fatos, ensinamentos, iniciativas que constituem os elementos vivos da nossa história eclesial.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.