Quem vamos Convidar?

“Só é feliz quem aceita o plano de Deus.”

Quantas pessoas convidar, quem convidar, quem cortar da lista, quantos convidados cabem aos noivos e cada família… Nessa hora, além de bom senso e afetividade, também um certo método e porque não dizer? – rigor mesmo.
Primeiro Passo: Decidam quanto querem gastar com a festa e, com o bufê, estabeleçam o que isso significa em termos de números de convidados.
Cartãozinho anexado ao convite: O correto é convidar a todos para cerimônia e a festa ou não se faz festa. Esse negócio de dividir os convidados entre os que têm apenas direito a ver a noiva entrar na igreja e os de primeira classe, que têm direito a brinde e bolo, é de uma deselegância atroz!

Convidando toda família: Também não precisa ser assim convide apenas os membros mais próximos.Critério Afetivo: São aquelas pessoas que você realmente faz questão que compareçam à cerimônia. Não importa há quanto temo você não as vê, a amizade segue inabalável.Colegas de trabalho: Não é necessário convidar todo o departamento. Basta fixar um convite “geral ” no mural. Quem se sentir suficientemente amigo irá à igreja. Quem não for íntimo, por sua vez, não poderá sentir-se excluído. Aos colegas realmente próximos, entregue um convite individual, em particular.Para cortar sem medo ou remorso: Se tiver dúvida, faça-se a seguinte pergunta: “Eu conheço a casa dele?” se a resposta for não, sinta-se completamente desobrigado de convidá-lo para seu casamento.

Esqueci! E agora? : Ainda que você não tenha liberdade com o esquecido em questão, ligue, não hesite. Não há como se sensibilizar com uma noiva (ou noivo) dando-se ao trabalho de corrigir um erro desses em plena correria pré-matrimonial. É infinitamente melhor do que não tentar consertar a gafe.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.