Quem ama, luta

Quem ama sua família vai à luta por ela. Quando amamos alguém, lutamos por ele. Especialmente quando o alvo do nosso amor está vivendo uma situação constrangedora, enfrentando algum sofrimento, um vício, uma fraqueza, algum tipo de crise, nossa compaixão aumenta e nosso desejo de ajudar cresce. Nada pode nos impedir de lutar e levantar a bandeira da fé por aquela pessoa; nada pode roubar o amor que sentimos por ela, derramado pelo próprio Deus em nossos corações. E a forma de perseverar nesse amor é rezar pela pessoa amada.

É natural na vida de todo ser humano atravessar momentos difíceis, às vezes até de desespero, mas deve haver no coração a certeza da fé. Ao encarar as incompreensões das pessoas, as confusões que o rodeiam, o ser humano só tem uma saída: a oração. É preciso ser combatente, e a arma nessa batalha é a oração. Peçamos ao Senhor esta graça:

“Meu Senhor e meu Deus, eis-me aqui. Deus de misericórdia e compaixão, confio em Teu divino amor por mim e por aqueles que eu amo. Venho a Ti com toda confiança, por que sei que Tu batalhas por mim. A vitória vem de Tuas mãos para esta pessoa que entrego a Ti agora (colocar aqui o nome da pessoa ou a situação difícil).

Senhor, quero amar acima de tudo. Quero lutar na fé, na oração e ter a graça de confiar sempre. Dá-me o Espírito Santo para pensar, falar e agir, somente como me inspiras. Afasta de mim qualquer desconfiança do valor de minhas orações diante de Ti. Acolhe-me, enche-me de Tua ternura, de Tua paciência.

Senhor, dá-me a graça de amar, mesmo na indiferença. Creio que o Teu amor me cura, me liberta da mágoa e do ressentimento, do sentimento de rejeição que alguém possa ter dito para comigo. Hoje, eu me determino a amar, a resolver tudo por meio da oração. Quero, como Maria, guardar todas as coisas no coração, acreditar que para Deus nada é impossível”.

Quando aconteceu de o velho Simeão profetizar para a Virgem Maria que uma espada atravessaria a sua alma, Maria, como serva do Senhor, guardou tudo em seu coração. Quando o menino Jesus se perdeu, sendo encontrado somente após três dias no templo discutindo entre os doutores, embora como mãe Maria manifestasse sua preocupação, não se prendeu nisso; voltou à serenidade, guardando tudo em seu coração. Maria agia assim porque tinha fé em Deus e confiava em Suas promessas.

Como Maria, precisamos nos abrir, amar e servir os que amamos, lutando por cada um deles. Por não entender como se cumpririam as promessas de Deus em sua vida, Nossa Senhora refletia e silenciava. Assim, ela podia contar com o socorro do Espírito Santo em tudo. Da mesma forma, aquilo que não entendemos precisa ser guardado em nosso coração, para depois ser lançado no fogo do amor do Senhor, que tudo transforma.

Como somos incapazes de compreender os desígnios do Céu a respeito de uma situação, resta-nos abandonar a vida nas mãos de Deus para que Ele venha em nosso auxílio, nos concedendo têmpera para suportar as provas cotidianas. Os que vão por esta via jamais serão decepcionados, pois a vontade de Deus se cumpre neles.

No Reino dos Céus não existe coincidência; o que existe é a Providência Divina. Para os que buscam a vontade de Deus, não há sofrimento, tribulação ou preocupação que não seja superada. Pela força do Espírito Santo tudo se resolve a seu tempo. Ele age sabiamente pela Sua providência.

Do livro: “Sofrer sem nunca deixar de amar”

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.