Que história ! Umamenina chamada Maria ...

Uma menina chamada Maria !

Os primeiros dias de Dezembro ainda traziam pela manhã um discreto frio orvalhado.
Eu me lembro até hoje daqueles cheiros de mato molhado na primeira nesga de sol,
e às vezes acordava quando ainda estava escuro apenas para poder vê-lo nascer no alpendre. Depois voltava para cama , grata por aquele espetáculo onde o dedo de Deus
estava desenhando no céu com fios de ouro.
Quando minha avó vinha acordar aquela menina esperta e um tanto triste que eu era,
brincava com meus cachos castanhos como o criador brincava com o sol.
Eu fingia que estava dormindo só para receber aquele carinho daquelas mãos calejadas de tempo.

– Bom dia, meu bem.
Um largo bocejo.
– Bom dia, Vovó.
– Dormiu bem?
– Dormi feito uma ursa.
A Vovó abraçou a menina, como uma ursa. Ela gemeu entre risos.
– Vó?
– Oi?
– Você me prometeu contar a história do menino Jesus.
– Mas assim? Logo cedo?
Fez uma cara com um muxoxo, como dizendo: Ah, conta, vai, Vovó!
A velha senhora sabia perfeitamente onde terminava aquilo.
– Tá bom, sua tratante, tá bom! Vou contar um pedaço.
Mas depois você vai escovar os dentes e vamos tomar café, combinado?
– Combinado!
– A historinha se chama: ‘Uma menina chamada Maria’, e ela começa
pela chegada do anjo Gabriel.

Esse anjo tinha a missão de ser um Mensageiro de Deus, e apareceu em sonho
para muita gente naqueles dias, anunciando que um grande profeta iria nascer
de um ventre estéril e iria se chamar João Batista.
E anunciou também o nascimento do Salvador, que seria chamado de Jesus.
João Batista seria filho de Isabel e Jesus nasceria do ventre de uma menina, chamada Maria, que era noiva de um jovem carpinteiro chamado José.

– O anjo era uma espécie de telejornal da época, Vovó?
Era tipo um repórter que trazia notícias direto do céu?
A vovó riu da comparação.
– O anjo era um mensageiro do Mistério.
– E o que é esse tal de Mistério? É um filme de terror?
– Mistério é tudo aquilo separa o nosso entendimento de Deus.
A menina fez cara de O Que?!
– Eu sei que esse pedaço é muito difícil. Mas veja só o que Lucas já vai nos contando logo de cara: o anjo anuncia que vão nascer duas crianças para trazer salvação: um deles nascerá de um ventre estéril, outro de uma virgem.

– Uma virgem é uma menina que não teve relações sexuais?
A Vovó quase caiu da cadeira ao lado do criado mudo.
Essas crianças de hoje são muito sabidas.
A velha senhora mal conseguiu disfarçar o rubor em sua face.
– É isso mesmo, meu bem. Mas é também o Mistério começando a se manifestar:
dois nascimentos em circunstâncias impossíveis: um, de um ventre estéril,
o que quer dizer, de uma mulher que não consegue ter filhos;
e outro, de uma menina que nunca casou nem pensou em gerar um filho.
Sabe o que isso quer dizer?
– Não.
– Isso quer dizer que a Criação do Operador de Milagres vai se dar aonde nós
somos estéreis e virgens. Eu sei que você não entendeu, mas deixe-me explicar:
Muitas vezes a gente passa a vida tentando conseguir alguma coisa, e nada, nada de conseguir.
– Meu pai passa a vida tentando ganhar dinheiro e não consegue.
– Pois é. Todo mundo tem alguma coisa estéril na vida. Algo que lutamos, lutamos para gerar e para colocar no mundo mas não acontece, não acontece.

É como se um pedaço de nós fosse estéril, não conseguisse transformar os sonhos
em realidade por mais esforço e vontade dedicadas à vida.
Uma hora todo mundo desiste e pensa: Chega! Desisto! Isso é impossível!
E esse lado é estéril. Mas cá entre nós, eu acho que Isabel, que era prima de Maria,
em momento nenhum desistiu de vez.
Todo dia, todo dia, ela deve ter orado com todo coração pedindo para que o
Operador de Milagres transformasse o estéril em frutífero, o que era seco em algo cheio de vida.
– Quem é o Operador de Milagres?
– É uma presença invisível, que faz o meio de campo entre o Humano e o Divino.
Ele que cuida de uma das coisas mais difíceis para nós.
– O que?
– Ele cuida do tempo das coisas, o que é também um grande Mistério.
Tem coisas nessa vida que a gente já consegue resolver logo de primeira, logo de cara.

Mas tem coisas, minha querida, que a gente passa a vida tentando
e não consegue nunca, mais tenta, mais quebra a cara.
Só o Operador de Milagres sabe a hora certa para as coisas acontecerem.
– A gente tem que esperar esse tal de Operador trabalhar?
A Vovó flexionou a sobrancelha, num gesto característico
quando a neta a colocava em situação difícil.
– Sim e não, meu bem.
– Como assim, sim e não?
– Não adianta ficar o tempo todo esperando que a chuva caia do céu
e molhe a terra estéril. Precisamos fazer a nossa parte.
Precisamos continuar tentando até achar o caminho,
para o Operador de Milagres poder finalmente achar o tempo das coisas.

A prima de Maria, Isabel, desistiu, mas não desistiu.
Continuou esperando e continuaria esperando até o último dia da sua vida
para conseguir que as coisas deixassem aquela secura.
Até que o tempo se cumprisse, pois o tempo é uma ferramenta de Deus.
– Êta tempo demorado, heim, Vó?
A Vovó olhou para ela com cara de troça.
– Mas o milagre mais importante não foi o de Isabel, meu bem…
– Foi qual?
– O milagre mais impressionante, para mim, foi o sim daquela menina
que mal chegara à puberdade.

Uma menina que tinha deixado as bonecas há pouco tempo,
e respondeu com um imenso Sim ao Mistério, sem pestanejar.
Imagine aparecer um sujeito estranho, com uma fantasia de anjo de escola de samba
dizendo para você: o Mistério vai se fazer carne, dentro de você.
Sabe aquela vidinha pacata, de uma aldeia da Galiléia? Acabou!
A sua vida mudou para sempre, nunca mais será a mesma!
– Vó?
– Oi?
– Você me falou que a Anunciação foi uma perda para a menina Maria.
– Falei.
– Como assim?
– Imagine que você é uma garota humilde, de mais ou menos uns dezesseis anos,
idade casadoira para uma moça da Nazaré daquela época.
Você vive em um pequeno vilarejo e está se preparando para casar com um bom rapaz,
um honrado carpinteiro chamado José, para cumprir a sina de casar, ter filhos
e honrar a Deus com seu trabalho diário, suas orações e seu dia a dia monótono…
De uma hora para outra, tudo isso desabou!

Aparece um anjo que lhe anuncia: A partir de hoje, você é não é mais uma menina,
mas uma mulher bendita, que trará em seu ventre Aquele nascido para salvar a todos.
Você vai gerar, amamentar e trocar as fraldas do próprio Deus, em pessoa.
Que responsabilidade!
A menina assentiu, pensando nas mudanças que a sua própria vida tivera de uma hora para outra.
– Sabe uma coisa que me impressiona nessa menina Maria, meu bem?
– O que?
– Ela perdeu tudo o que tinha: sua vida, seus planos, toda a trajetória
que fora traçada desde o seu nascimento.
Tudo assim, numa visita de uma Mensageiro de Deus, desmanchou-se no ar.
Em troca, a mensagem ofereceu-lhe um Mistério. E ela disse Sim !
Ela curvou-se diante do anjo e falou: Seja feita a Vossa Vontade!
Esse é o maior Sim de toda a história da experiência humana!
Sim, eu aceito a Vossa Missão.

A gente passa a vida tentando entender uma perda, um golpe do destino
e o que aquilo significava, qual era a intenção divina por trás dos acontecimentos…
E essa menina extraordinária abandonou tudo com o Sim e se atirou ao Mistério…
A netinha pegou um lenço e enxugou o suor e algumas lágrimas nos olhos da Vovó.
Tinha que ir devagar. Aquela história talvez emocionasse a Vovó mais do que qualquer outra…
– Obrigada, meu bem… A Vovó fica realmente emocionada com essa história
que é a maior que alguém já contou.
– Vó?
– Oi?
– É isso que quer dizer o Natal?
A Vovó deu um grande suspiro.
– É isso mesmo, meu amor. É isso mesmo.
O Natal é a festa onde vamos celebrar esse Mistério.
O Mistério do estéril transformado em vida, e da Virgem Grávida do Mistério.
Esse é um trabalho para toda a nossa vida, entendeu, menina?
Toda a nossa vida a gente vai dedicar a transformar o Virgem em criação,
o seco em frutífero.

O Natal é uma celebração da Vida, do Novo, não uma ocasião para aturar tias chatas ou comer panettones!
A menina deu muita risada, sobretudo da alusão às tias chatas.
– Vó?
– Oi?
– Quando chegar a minha hora diante desse anjo, você acha que eu vou dizer Sim?
A Vovó aconchegou-a suavemente.
– Eu tenho certeza que você vai se sair muito bem, minha querida. Mas lembre-se de uma coisa…
– O que?
– Tenha a persistência de Isabel, e a entrega daquela menina, que chamava Maria,
para que o tempo das coisas se realize.

A vovó pergunta para você:

O que na sua vida é estéril e precisa ser vivificado?

Qual milagre você está esperando?

O Portal Canção Nova agradece à gentileza de Marco Antonio Spinelli, por ter nos enviado esta bela história.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.