Quaresma 2002

“Agora é tempo favorável (…) para curar o mundo enfermo com um remédio: a penitência

Graça e Paz, meu irmão, minha irmã!

Estamos no período da Quaresma, tempo em que o Pai nos convida a uma preparação para o Mistério grandioso da Paixão, Morte e Ressurreição de Seu Filho Jesus. O Espírito Santo, neste tempo, quer nos conduzir com Jesus para o deserto (Lc 4, 1). E, como Jesus, devemos viver a graça de sermos dóceis à ação do Espírito! Nós sabemos que estamos em um momento forte de prática penitencial, em que a Igreja, dócil à Sabedoria Divina, nos coloca como um “tempo particularmente apropriado aos exercícios espirituais, às liturgias penitenciais, às peregrinações em sinal de penitência, às privações individuais como o jejum e a esmola, e à partilha fraterna (obras de caridade e missionárias)” (CIC 1438). Mas por que fazer penitência? Por que jejuar? Por que me privar de algo que eu gosto muito de fazer, de ver, de comer?

O Evangelho de São Lucas nos diz que, cheio do Espírito Santo, Jesus foi conduzido, no Espírito, para o deserto (Lc 4, 1). Antes de mais nada, devemos iniciar a Quaresma cheios do Espírito Santo! Por isso, antes mesmo de nos questionarmos o porquê da penitência, antes de planejá-las, antes de nos privarmos de qualquer coisa, peçamos a Deus que nos encha do seu Espírito, pois é Ele quem nos guia durante estes quarenta dias com Jesus. E então, cheios do Espírito, podemos perceber que atitudes como deixar de comer carne, por exemplo, são falsas, enganadoras e sem frutos, se com elas não houver um compromisso diário de conversão interior.

Na verdade, ao contrário do que pensamos, a conversão interior é que nos leva a expressar atitudes visíveis: as práticas de penitência. Não para que os outros vejam, mas para que o mundo seja curado das suas enfermidades. Você que já vive prática da penitência, fruto da busca pela conversão, poderá perceber a ação do Espírito Santo em você. Podemos citar inúmeras. Como penitentes, ficamos mais sensíveis às desigualdades e, aos sofrimentos de nossos irmãos, nos tornamos mais orantes, menos egoístas. Aprendemos a controlar os nossos excessos e viver mais dependentes do Senhor. Enxergamos melhor nossas manias e defeitos. Entendemos melhor várias Palavras de Jesus: Mt 25, 31-46; Mt 7, 1-5; Mc 10, 17-27; Lc 12, 22-34; Jo 17, 20-23 para citar algumas. Pegue sua Bíblia e veja a clareza destas passagens bíblicas. Veja como Jesus toca os nossos corações… São muitos os frutos da ação do Espírito Santo em nós neste período da Quaresma.

Se você quiser, faça uma lista das graças que Deus lhe dá através de suas penitências quaresmais. Mas busque e peça a Deus a maior de todas as graças deste tempo: que a Quaresma nos leve a experimentar a riqueza de descer com Jesus à Jerusalém e viver com Ele o Mistério de nossa Redenção. Que na Semana Santa possamos estar vazios de nós mesmos e totalmente cheios de Deus para que, transbordando de Alegria Pascal, possamos mostrar às pessoas o Cristo Ressuscitado, e o mundo então terá a sua cura.

Pela intercessão de Nossa Senhora Auxiliadora, a paz do Senhor esteja com você, meu irmão, minha irmã!!!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.