Por que o Papa virá ao Brasil?

A viagem do Papa Bento XVI ao Brasil, em maio próximo, começa a despertar interesse sempre maior. Trata-se de sua primeira visita, enquanto Papa, ao Continente Americano, onde está concentrada mais da metade dos católicos do mundo.

A vinda do Papa ao Brasil [site oficial] enche-nos de satisfação e faz muitos especularem sobre os motivos da escolha de nosso País. Certamente há razões que motivaram a escolha do Brasil mas isso é secundário. As razões da visita do Papa devem ser buscadas num horizonte que vai além do nosso País. De fato, Bento XVI fará breve visita ao solo brasileiro, mas estará a caminho de Aparecida, de onde lançará sua mensagem a todos os povos do Continente e também do mundo inteiro.

.: Oração de preparação para a V Conferência

O Papa virá para um evento Latino-Americano da maior importância: A V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe. Por isso, de 13 a 31 de maio de 2007, Aparecida estará no centro das atenções mundiais. Quase 300 bispos e outros representantes da Igreja, vindos de todos os países americanos e também alguns convidados da Europa, Ásia e África, estarão reunidos no Santuário Nacional para fazer um diagnóstico das situações vividas pelos povos da América Latina e do Caribe e, evidentemente, da situação da Igreja; lançarão um olhar de discípulos e missionários de Jesus Cristo sobre os novos desafios postos à missão evangelizadora da Igreja, para “ouvir a voz de Deus na voz dos tempos”. De Aparecida devem sair diretrizes para a ação da Igreja nos próximos anos em nosso Continente.

Vindo ao Brasil para dar início aos trabalhos da Conferência de Aparecida, o Papa destaca a importância dessa reunião eclesial. Ela se inscreve na série das outras grandes Conferências Gerais já realizadas: Rio de Janeiro (1955), Medellín (1968), Puebla (1979) e Santo Domingo (1992). Todas elas, no seu tempo, deixaram marcas importantes para a vida e a missão da Igreja na América Latina. Todas elas, exceto a primeira, tiveram a presença do Papa na abertura dos trabalhos.

Evidentemente, a Conferência não tem a finalidade de discutir questões dogmáticas, mas terá um caráter eminentemente missionário e pastoral. Foi o próprio papa Bento XVI quem escolheu o tema da V Conferência Geral: Discípulos e missionários de Jesus Cristo, para que, nele, nossos povos tenham vida. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6).

O tema oferece o fio condutor dos trabalhos e propostas: na primeira parte, refere-se à identidade dos cristãos e da Igreja, enquanto discípulos e missionários de Jesus Cristo. Nesta identidade está compreendida a referência mística e ética permanente para a ação dos cristãos no meio do mundo. A segunda parte do tema fala do significado da presença dos cristãos e da Instituição-Igreja no meio dos povos: contribuir para que esses povos tenham vida, com tudo o quê isso significa. Portanto, é um tema carregado de conseqüências para a presença dos cristãos no mundo Latino-Americano, com suas contradições e esperanças.

Mais que um privilégio para nosso País, a visita do Papa e a realização, aqui, da V Conferência Geral, representam uma tarefa e uma responsabilidade especial para o Brasil. Sendo o maior país da América Latina, e com o maior número de católicos, também lhe cabe contribuir de maneira significativa para a missão da Igreja no Continente e no mundo.

Depois de termos recebido muito, é hora de partilhar largamente com os outros o rico patrimônio da fé e da experiência de vida eclesial que nos foi legado. Talvez um dos motivos da visita do Papa ao Brasil seja, justamente, recordar-nos isso.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.