PHN em minha vida

PHN é, de fato, uma decisão de vida, uma opção para aqueles que querem mudar de vida. É nadar contra a maré, diante das ondas que o mundo oferece, principalmente o ter, o poder, que nos levam cada vez mais a debruçar nos prazeres da vida: o sexo desregrado, a droga, a bebida… enfim, viver o PHN é ser ousado, é dizer nos momentos de pecado: “Por hoje não, por hoje não vou mais pecar”. É não usar desculpas do tipo “sou fraca, não vou conseguir”!

Venho de uma família de 4 irmãos. A minha educação foi sempre fundamentada na verdade e essa educação foi impregnada no meu coração, na minha personalidade e quero morrer com ela. Minha mãe foi uma peça fundamental para a minha formação pessoal, agradeço a Deus pelo ventre que me trouxe ao mundo.

Mas no decorrer da vida fui percebendo que existia dentro de mim um grande vazio, que era por falta de amor e eu queria preencher de qualquer modo esse vazio. E, sem nenhuma experiência com Deus, fui buscar nos prazeres da carne, porque eu queria ser feliz. Só que percebi que a felicidade não advém da noite para o dia, ela vai sendo construída, adquirida no dia-a-dia, deparando com a minha própria verdade.

Eu estava vivendo uma mentira, fingindo que estava feliz. Percebo que a partir das minhas fragilidades e carências, o inimigo de Deus armou na minha vida, colocou vendas nos meus olhos para eu não enxergar a minha verdade; uma delas era: sou filha de Deus e precisava viver essa dignidade de filha. Vivi uma ilusão por um bom tempo, até mesmo deturpando a imagem de Deus em mim, envolvendo-me cada vez mais no pecado.

Lembro-me que no quarto de um ex-namorado havia um lindo quadro de Jesus o Bom Pastor e aquele quadro me incomodava ao extremo. Foi a partir daí que comecei a olhar para aquele quadro, vendo Jesus segurando uma ovelhinha nos braços e eu dizia: essa ovelhinha sou eu. Só pelo fato de contemplar aquele quadro fui descobrindo que não dava mais para viver aquela vida medíocre, onde eu vivia o meu mundinho às escondidas. Escondendo quem de fato eu era, sem ninguém saber das artes que eu aprontava.

Estava tão cansada daquela vida, que acabei entrando num profundo desânimo, nada estava bom, comecei a viver uma grande rebeldia interior, cansada de usar mascarás, diante de mim mesma, e principalmente dentro da minha própria casa. Já não acreditava mais no amor das pessoas, principalmente os dos homens. Acabei largando daquele namorado que tinha até propostas de casamento. Mas descobri a grande verdade, eu não era feliz, faltava algo para preencher o meu coração.

Fui convidada a conhecer a Canção Nova e, no primeiro momento eu dizia para mim mesma: eu nunca vou morar em Cachoeira Paulista, pois a cidade não oferece nenhum divertimento. Mas quando vi o Padre Jonas pregar sobre santidade, fiquei encantada, foi de fato um encontro que marcou a minha vida, e descobri que a minha alma estava com sede de Deus, infelizmente em não conhecer que era uma sede de Deus, fui tentar matar a minha sede no pecado.

Graças a Deus, hoje, sou consagrada a Ele aqui na Canção Nova, sou uma nova mulher que luta sempre para vencer as tentações, o pecado. Posso dizer: dá tempo, de voltar para os braços do Pai, pois Ele o espera. Sempre é tempo de recomeçar, principalmente diante das quedas da vida! Sou muito feliz e quero lançar o convite para você: Chegou o momento de dar um basta na vida velha, para a infelicidade, para a morte!

Viva a vida e seja feliz, vivendo o PHN, que leva dia-a-dia a se renovar pela força do Espírito Santo, que dá a você um novo sentido de viver.

É o dia de dar um basta, de dar uma resposta em favor da vida e não da morte e de buscar aquilo que é verdadeiro.

Deus é a verdade e a vida. Deus espera por você!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.