Perca o controle da sua vida para não perdê-la

Crescemos numa sociedade que nos educou para termos o controle de todas as coisas. Desde o controle remoto da TV até a medicina – que a todo momento busca prever e remediar os males -, absolutamente tudo nos impulsiona a ter todas as situações em nossas mãos. Inocentemente, começamos a acreditar que não precisamos de ninguém, que sabemos tudo e que nossas palavras são a verdade. Tornamo-nos autosuficientes, fechados em nossas concepções e ideias que vão se adequando conforme a nossa necessidade e a nossa aparente “felicidade”. Somos criados para buscar a nossa independência pessoal.



Acontece que, nessa ilusão de ter todas as coisas sob o nosso controle, quando não sabemos como agir diante de uma situação, desesperamo-nos ou fugimos para não encará-la, porque não sabemos o que fazer. Muitas vezes, até Deus foi descartado de nossas vidas e, por isso, não há mais a quem recorrer. Por fim, na busca da independência pessoal, acabamos ficando sozinhos.

Isso não acontece somente com as pessoas que estão longe do Senhor, pelo contrário, você pode estar todos os dias na igreja, ser um consagrado ou até mesmo um padre, mas, ainda assim, não ter se colocado na posição de discípulo, de alguém que tem Jesus como o Mestre de sua vida. Na batalha para ser de Deus, buscamos ter tanto o domínio de nossas lutas que tiramos o Senhor do trono do nosso coração e nos sentamos nele. Caímos novamente no erro de Adão e Eva e desejamos ser como deuses (Gn3,5), senhores de tudo, de todos e de nós mesmos.

Pode ser que essa autosuficiência seja fruto de nossa criação, de traumas da nossa história ou das próprias lutas da vida que nos levaram a ser assim. Não importa. Quando encontramos Jesus e nos entregamos a Ele, não estamos mais sozinhos. Não precisamos lutar nem provar a ninguém – nem para Deus – que somos fortes e estamos no controle de todas as situações. Não somos mais órfãos, sem amparo ou apoio, porque temos um Pai que nos ama e tem, verdadeiramente, o controle de todas as coisas.

O nosso papel é de nos colocarmos em uma atitude filial; até mesmo infantil. Precisamos ser como crianças que sabem de seus limites e reconhecem no Pai a segurança e o apoio. O que eu não posso, eu sei que Ele pode realizar. Quanto a mim, somente me abandono, permito-me entrar na escola da vida mais uma vez (independente de quantos anos eu tenha), sentar na cadeira e colocar-me como aluno nas matérias da minha história, nas quais eu me considerava doutor.

Assim, reconheço que sou muito menos do que imaginava, enxergo a minha verdade, os meus limites e me abandono no Pai. Perco o controle, mas não por causa das situações, pois me disponho a colocar tudo, absolutamente tudo, nas mãos de Deus. Perco o domínio da minha vida para não perdê-la.

Independente de qual seja a situação que você está vivendo, pare de bancar o forte. Você não precisa vestir a fantasia de super-homem ou mulher-maravilha, mentir para si mesmo, acreditando ser capaz de manter o controle dessa situação. Deus o conhece e o vê. Ele é Pai e sabe muito bem quem você é, suas vitórias e derrotas e, justamente por causa disso, o ama tanto.

Não importa se passou a vida inteira lutando na solidão, não tendo ninguém para lutar por você e com você. Pode ser até mesmo que você tenha começado a ler este texto buscando respostas para o seu problema, buscando ter o controle da situação. Não importa se você não tenha achado a força necessária para sozinho enfrentar essa batalha. Ou melhor, que bom que isso não aconteceu, porque você encontrou Quem pode lutar por você e com você.

Seja criança novamente e, sem forças, peça ajuda ao seu Pai, mais do que um super-herói, é Deus. Permita-se perder o controle da sua vida e experimente a alegria do cuidado e do carinho daqueles que são chamados filhos do Senhor.

Seu irmão,
Renan Félix

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.