Padre Jonas da Bíblia

Recebo grande número de cartas. Muitas pessoas me mandam bilhetes com pedidos de oração. Com muita freqüência, o povo mais simples acaba escrevendo: “ao Padre Jonas da Bíblia”. Ouvindo mal o meu nome, Jonas Abib, entendem “Jonas da Bíblia”. Não me aborreço de maneira alguma com isso. Pelo contrário, esse fato é para mim uma alegria. Vejo que Deus dá aos simples uma intuição que os outros não têm, e eles acabam sendo os porta-vozes daquilo que o Senhor quer que eu seja. Eu rio e digo a mim mesmo: “olha aí, mais uma vez Deus falando através dos simples, que você precisa ser realmente o “padre Jonas da Bíblia””.

Graças a Deus não posso negar: a Bíblia faz parte da minha vida. Ela se tornou carne da minha carne e ossos dos meus ossos. Eu “comi”, “mastiguei”, “digeri”, “ruminei”, assimilei a Palavra de Deus como um alimento. Hoje, ela é como o sangue que me corre nas veias.

Sei que preciso ser muito mais Padre Jonas da Bíblia. Preciso ler mais, conhecer mais, ruminar mais, assimilar mais e, principalmente, viver mais a Palavra de Deus. Mas eu seria injusto com Deus, se mostrasse uma falsa humildade e negasse que o povo tem razão. O que as pessoas intuem é real. Não fui eu quem me fiz, foi Deus quem me tornou o “Padre Jonas da Bíblia”. O testemunho que dou é Dele: daquilo que Ele fez; daquilo que Ele, e só Ele, é capaz de fazer. Testemunhando isso, não exalto a mim mesmo, mas a Deus, porque é Ele quem está fazendo a obra em mim.

E, se faz a obra em mim, Ele também pode fazê-la em você. Esse é o testemunho que eu lhe dou: tudo o que sou e tudo o que faço é resultado da presença da Bíblia no meu dia-a-dia. Foi a Palavra que cria para mim, hoje, a possibilidade de fazer o que faço. E tenho a certeza de que ela ainda tem muito a fazer em mim… E eu quero que faça. Peço que faça.

O tempo de Deus

Perguntaram a um cristão, homem de negócios:
– Como você pode se dar ao luxo de gastar tanto tempo com a Bíblia?
E ele respondeu:
– O que não posso é me dar ao luxo de não gastar apenas esse tempo com a Palavra de Deus. E ninguém pode. É preciso dar a César o que é de César, e dar a Deus o que é de Deus. Esse tempo é de Deus.

Por infelicidade, muitos cristãos ainda não o entenderam. E aqui, poderíamos parafrasear a passagem da 1ª Carta de São Paulo aos Coríntios:

“Esta é a razão por que entre vós muitos andam doentes e enfraquecidos e muitos já estão mortos” (I Cor 11,30).

Dê também a Deus o tempo que é de Deus!

Sem alimento ninguém vive. A cada dia, temos de colher a nossa porção de alimento, assim como o povo de Deus no deserto colhia a sua porção de maná. Do contrário, estaremos cambaleando pelo deserto da vida e talvez não cheguemos à Terra Prometida. Pereceremos no deserto por falta de alimento.

Felizes, porém, os que se alimentarem do Pão da Vida, porque estes viverão eternamente. Felizes os que entenderam a importância da Bíblia no seu dia-a-dia. Eles serão os vencedores.

Do livro: “A Bíblia no meu dia-a-dia”

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.