Outubro - mês das missões

A cada ano as comunidades cristãs do mundo inteiro dedicam ao mês de outubro uma especial ênfase missionária. Em particular, a nossa Igreja do Brasil, que acabou de viver a Graça do 1º Congresso Missionário Nacional, percebeu a urgência da grande tarefa que cabe a cada batizado: ser continuador da missão de Cristo.

“Igreja no Brasil, tua vocação é missão”:
esse é o lema da campanha missionária desse mês, que convida cada comunidade paroquial a avaliar sua caminhada missionária à luz do texto-base promulgado pelas POM (Pontifícias Obras Missionárias).

Os nossos Participantes das comissões, sempre ativos, com certeza estão já organizando, para esse mês, iniciativas concretas que suscitem, nos irmãos das próprias comunidades, o desejo de abrir as portas de seu coração e da sua casa às necessidades da humanidade faminta de pão, faminta de Deus. Como todos sabemos, o penúltimo domingo do mês missionário, O Dia Mundial das Missões é o dia em que se reza especialmente para os missionários e as missões além-fronteiras e, por isso, a coleta de todas as missas será em prol das Missões.

Nesta ocasião sempre recebemos uma mensagem do Papa João Paulo II, nosso pai, que tem em seu coração os anseios do mundo inteiro. Eis alguns trechos de sua carta, que nos exorta a sustentar, com nossas orações, os desafios missionários, ajudados por Maria Estrela da Nova Evangelização. “Em época alguma, a Igreja teve tantas possibilidades de anunciar Jesus como hoje, graças ao desenvolvimento dos meios de comunicação. Precisamente por isso, a Igreja é hoje chamada a fazer transparecer o rosto do seu Esposo, com uma santidade mais refulgente. Nesse esforço não fácil, sabemos que seremos ajudados por Maria, Peregrina da fé […]. Sob o olhar dela, a comunidade eclesial está pronta para acolher o desafio da Nova Evangelização, contempla o rosto misericordioso de Jesus nos irmãos, especialmente nos pobres e mais necessitados, nos que vivem longe da fé e do Evangelho […]. É urgente preparar evangelizadores competentes e santos: é necessário que não enfraqueça o fervor nos apóstolos, especialmente para a missão “ad gentes”. O dever da animação missionária deve continuar a ser um compromisso sério e coerente de todo batizado e de cada comunidade eclesial […].

Que Nossa Senhora nos ensine a sermos discípulos corajosos, que não se cansam de anunciar, que se deixam levar pelo Espírito onde o Evangelho não foi ainda anunciado. A evangelização pode ser de várias maneiras: com a palavra e com as obras. Um dos elementos mais importantes do cristianismo é a vida comunitária. Para quem é cristão, não existe lugar para o individualismo. Jesus nos mostra isso quando não realiza sozinho a sua missão, mas chama os apóstolos para participarem ativamente da sua missão.

Para o apostolado, Jesus não chama os melhores do ponto de vista da economia, da sociedade ou mesmo os mais santos; Jesus chama a todos, sem fazer qualquer tipo de distinção entre as pessoas. Assim, nos mostra que na atuação pastoral, devemos nos preocupar não simplesmente em fazer o trabalho, mas sim em envolver a todos, para que a atuação pastoral seja comunitária e revele este importante valor do Evangelho.

Eduardo Rocha Quintella – Fraternidade S.J. Da Cruz – O.C.D.S –
Adorador Noturno da Catedral Nossa Senhora Da Boa Viagem
Belo Horizonte/ MG
Tel: (oxx31) 3486 – 8507
eduardoquintella@terra.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.