Os sacramentos fundamentam-se na Bíblia?

Os sacramentos – sinais sensíveis e eficazes da graça de Deus – foram instituídos por Jesus e se dividem em sacramentos da iniciação cristã – Batismo, Confirmação e Eucaristia; em sacramentos da cura – Penitência e Unção dos Enfermos; e em sacramentos do serviço da comunhão – Ordem e Matrimônio.

Ir pelo mundo afora, evangelizar, batizar em nome do Deus uno e trino e ensinar a viver conforme o Evangelho é missão da Igreja (Mt 28, 19-20). E este Batismo é necessário à salvação (Jo 3, 5). Ele nos lava de todo pecado, faz de nós novas criaturas (2 Cor 5,17), filhos adotivos de Deus (Gl 4, 5-7), templos do Espírito Santo (1Cor 6,19), nos incorpora à Igreja (Ef 4, 25), coloca em nós uma marca indelével (Rm 8,29).

A Crisma confirma e fortalece em nós o Espírito Santo recebido no Batismo, como aconteceu com os batizados de Samaria (At 8, 14-17). Na Crisma somos ungidos para o testemunho de Cristo.

O sacramento da Eucaristia é fonte e ponto culminante da vida na Igreja? Ceia pascal, sacrifício, ação de graças… a Eucaristia é tudo isso e muito mais. Você e seu grupo, Arnaldo, saboreiem a instituição da Eucaristia (Mt 26,17-29; Mc 14, 12-25), e em Jo 6 fortaleçam a fé na presença real de Jesus, o “Pão da vida” neste sacramento.

O sacramento da penitência, da conversão, da reconciliação nos devolve a vida da graça perdida pelo pecado . É uma segunda conversão. Jesus perdoa nossos pecados (Mc 2, 10) e transmite esse poder aos apóstolos (Jo 20, 22-23) que na Igreja exercem o ministério da reconciliação (2 Cor 5,18). Este sacramento nos lembra a misericórdia infinita do Pai.

Mas Jesus não se preocupa só com a cura de nossa alma. O Deus da vida nos liberta também das doenças do corpo. Ele é o médico divino a que os doentes acorrem com fé (Mc 5,34-36; 9,23), procurando a força que sai dele (Mt 3,10; 6, 56). Em Tg 5, 14-15, vemos o sacramento da Unção dos Enfermos sendo recomendado.

Leiam depois 1Tm 1,6 e descubram como Paulo ordenou Timóteo. Leiam Tt 1,5 e veja como Paulo o encarregou de constituir presbíteros em cada cidade. Releiam a última ceia e vejam Jesus instituindo o sacerdócio cristão. Deus escolhe aqueles que ele quer e pelo sacramento da Ordem eles são ungidos e recebem a imposição das mãos para servirem o povo de Deus como diáconos, sacerdotes e bispos.

Vem por fim o sacramento do Matrimônio, que une homem e mulher no amor e faz dos dois uma só carne (Gn 2, 24; Mt 19,5; Mc 10, 7s; Ef 5, 31; 1Cor 6,16) numa união indissolúvel (Mt 19,6) a serviço da vida (Gn 1,28).

Meus amigos, não se contentem com estes textos. Vão mais fundo e descubram que por trás de cada sacramento há uma profunda reflexão bíblica e teológica da Igreja.

Padre Cido Pereira
Fonte: Arquidiocese de São Paulo
padrecido@ig.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.