Os construtores do Reino

A Igreja apresenta São José Operário como modelo do homem trabalhador porque realiza em sua vida o projeto grandioso de Deus, de uma forma normal e comum. A festa litúrgica de São José Operário, instituída pelo Papa Pio XII, celebrada no dia 1º de maio, em coincidência com o Dia Mundial do trabalho e do trabalhador, é ocasião propícia para aprofundarmos o Mistério de Deus Criador. Com efeito, São José glorifica, em sua vida e no seu trabalho, os desígnios de Deus sobre o ser humano. Leva-nos igualmente à compreensão do Mistério da Redenção, em que o próprio Filho de Deus se identifica conosco.

Logo na primeira página da Bíblia, Deus é apresentado não apenas como um trabalhador que descansa após uma semana de trabalho, mas sobretudo como Criador de tudo que existe e Senhor soberano e providente que tudo orienta para a sua obra-prima, o ser humano, criado à sua “imagem e semelhança” (Gn 1, 26). O ser humano ocupa, assim, um lugar único na criação. De todas as criaturas visíveis, só o ser humano é “capaz de conhecer e amar seu Criador” (GS, 12, 3). O homem e a mulher são chamados a uma vocação de prolongar e colaborar na obra da criação. Em seu trabalho devem expressar a glória de Deus. Por isso, a oferta do trabalho está chamada a ser oblação agradável ao Senhor.

O Catecismo da Igreja Católica ensina que o trabalho pode ser redentor. “Suportando a pena do trabalho unido a Jesus, o artesão de Nazaré e o crucificado do Calvário, o ser humano colabora de certa maneira com o Filho de Deus em sua obra redentora. Mostra-se discípulo de Cristo carregando a cruz, cada dia, na atividade que é chamado a realizar” (n. 2427).

O trabalho segundo a Palavra de Deus, concretizado na vida de São José, é um trabalho que nasce do amor e leva ao serviço. Não se trata, portanto, de um trabalho que escraviza a pessoa ou que a coloca a serviço da exploração do poder econômico, interessado unicamente em sugar a vida dos trabalhadores. Para o cristão o trabalho deve ser elemento essencial de sua realização.

Pelo trabalho assumimos o projeto de Deus Criador confiado à nossa capacidade e responsabilidade. Somos chamados a proclamar um trabalho que gere condição de vida digna para todos, que aposte no seu valor primordial, conscientes de que o trabalho é para o ser humano, e não o ser humano para o trabalho (cf. Laborem Exercens, 6).
José de Nazaré, modelo de serviço a Cristo e a seu misterioso desígnio de salvação, nos ajude a perseverar com fidelidade e amor na missão que Deus nos confiou.

Com seu trabalho humilde e escondido, associado a Jesus e ao Pai, José de Nazaré reconstrói o mundo. Ainda hoje ele continua solidário e unido a todos aqueles, que na dor e na esperança promovem um mundo justo e humano. No contato com a matéria e em tudo o que os olhos viam, encontrava o Esposo de Maria sementes de contemplação, que lhe enchiam a alma e a vida. O exemplo de São José Operário nos empenhe na implantação da justiça social e da solidariedade e nos comprometa na construção da “cidade terrestre”, sem perder de vista a “cidade celeste”.

Dom Nelson Westrupp
Bispo de São José dos Campos – SP
Site: www.diocese-sjc.org.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.