Olhe ao seu redor

Dias atrás eu estava caminhando no parque do Ibirapuera, aqui em São Paulo. Para quem não conhece ou nunca ouviu falar, digamos que é um refúgio muito agradável dentro da Capital mais poluída do país. Lá ainda encontramos paz e harmonia. É uma imensa área verde, onde a população vai namorar, caminhar, andar de bicicleta ou simplesmente sentar na grama e contemplar o lago, os patinhos e pensar na vida. Por algumas horas fiquei observando as pessoas que passavam por mim. Alguns passavam correndo tentando manter o equilíbrio do seu corpo. Outros passavam devagar com seus filhos. Uns muito atarefados, mesmo em um parque, e ainda outros de mãos dadas, contemplando a beleza do tal sentimento que os unia.

Pensei: ‘O que faz as pessoas se afastarem tanto de Deus, se o que elas mais procuram é paz e um lugar onde possam ser elas mesmas, mantendo o equilíbrio psíquico entre o corpo e a mente?’. Cheguei a uma conclusão: As pessoas acabam se acostumando com a sua própria rotina. Tudo que vem de bom é acréscimo. Tudo que não acontece é que não era para acontecer. E as pessoas vão vivendo. Não procuram grandes acontecimentos… Apesar de estarem todas ali demonstrando a felicidade de um sábado ensolarado, era perceptível que faltava algo nelas. Uma alegria interior, talvez. Muito centradas em si mesmas, com um medo terrível de olhar dos lados e ter que se comprometer com o próximo.

Todos possuem Deus. Todos são filhos e filhas deste Senhor que criou aquele verde e a harmonia que todos ali contemplavam.

Porque estou dizendo isso, se na verdade eu nem conhecia aquelas pessoas? O que me leva a dizer que falta algo nelas? Havia lá uma rede de televisão que perguntava: ‘O que você veio procurar no parque hoje?’… De mais ou menos 20 pessoas que pude observar, 18 delas não citaram ‘Deus’ em nenhum momento de sua resposta. Muitas inclusive viravam as costas e seguiam o caminho, outras respondiam que não tinham nada para fazer em casa. Ainda houve pessoas que disseram: ‘Vim procurar alguém!’. Outras apenas caminhar, fazer exercícios, namorar… Coisas que não fazem no dia-a-dia. O mais impressionante foi quando uma criança respondeu: ‘Vim procurar Deus’.

Aquilo me fez escrever ao chegar em casa. Aquela resposta me veio como se fosse para mim mesma, pois, na verdade, poderia ser mais uma que responderia: ‘Vim viver a minha solidão’. E a criança de mais ou menos 9 anos continuou: ‘Lá na minha igreja, a professora de catecismo diz que Deus está em todos os lugares, pois foi Ele quem criou a natureza e o ar que nos mantém vivos, pensei que fosse encontrar Ele aqui, mas pelo visto Ele ainda não veio’.
A repórter nem sequer continuou a conversa, não tinha o que dizer. Realmente a criança fez uma profecia, fez com que todas as pessoas ali presentes encontrassem algo perdido. Se dessem conta de que estavam ali sem um sentido, sem uma alegria… Sem Deus!
Não deu para me calar e não partilhar isso com tantas pessoas que podem ler este artigo.

Se você é uma dessas pessoas que vivem por viver, sem perceber que o que acontece com você tem o dedo de Deus, olhe ao seu redor. Ele pode estar querendo te mostrar algo, estar mais próximo de você e de sua ‘rotina’ diária. Não deixe Deus passar na sua vida. A lição desta criança me fez, em oração, refletir a minha fé e procurar amar melhor e valorizar as pequenas coisas da vida.

Procure olhar mais ao seu redor, você pode descobrir muitos tesouros!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.