O que é ser pai.

Quando eu tinha meus 12 anos de idade, morava na cidade de minha origem, com meus pais. Nossa família é pobre e vivíamos em grandes dificuldades financeiras, naquela época. Quase não tínhamos lazer, e o contato de pai e filho era muito ríspido no dia-a-dia. Apanhava bastante pelas travessuras que fazia. Nos finais de semana, meu pai pegava eu meus irmãos ( somos 5 homens e uma mulher) e levava a gente com ele para pescar num ribeirão chamado rio Pinheirinho, que ficava a pelo menos oito quilômetros de distância da casa onde morávamos.

Era uma boa caminhada, ele preparava as “traias” de pesca, cortava as varinhas de bambu, colocava com capricho a linha e o anzol, e fazia questão de nos ensinar, com detalhes, como amarrar a linha, encastoar o anzol. O rio era bem pequeno, e quase não tinha peixe, pegávamos alguns lambaris, poucos bagres. Mas era uma aventura : a aventura da partilha de pai e filho. Durante a caminhada sempre surgia uma história de sua infância, de suas pescarias com meu avô, de canoa no rio Tietê, as caçadas de paca, de nambu que fazia. Sempre contava sobre sua mãe, que nós nem conhecemos, pois morrera quando ele tinha dezoito anos. Não escondia a saudade, a tristeza. “- Se minha mãe fosse viva, a gente sofreria bem menos”, dizia. E quando chegava perto do mato fechado, que existe envolvendo o rio, sempre pedia para orarmos a São Bento: “São Bento, São Bento: me livra do bicho peçonhento” E a gente entrava no mato rezando isto.

Estava sempre atento a gente, e não tinha problema algum de nos puxar a orelha, quando necessário.

Queria dizer que meu pai não foi um exemplo, e que deixou de me ensinar muita coisa, mas ele foi presença na minha vida. Vejo que muitos filhos acabam culpando o pai, pelos seus erros pessoais, até eu já cai nesta tentação, mas percebi em tempo, que o essencial meu pai me deu: sua amizade. Se me desviei na vida, foi porque eu não havia me encontrado de verdade com Jesus Cristo, e não por falta de pai.

Queria deixar esta mensagem aos filhos, que valorizem os pequenos gestos que os seus pais fazem no cotidiano, existe amor sempre. Porque ser pai de alguém é amar alguém, por si só.

Eu sei disto hoje, primeiro porque sou pai de duas meninas maravilhosas, e ainda porque o meu encontro pessoal com Jesus Cristo me abriu o coração para amar e valorizar o meu pai. Um homem que do seu jeito, sem eu perceber muitas vezes, sempre me amou.

Pai é presença que faz falta. Hoje moro longe dele, como missionário e não poderei vê-lo neste seu dia, porque escolhi dar este meu precioso a Deus: ser filho. Mas mesmo na distância, nosso amor e partilha é muito lindo.

Feliz dia dos pais.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.