O que é a devoção à Divina Misericórdia?

Helena Kowaslka nasceu no ano de 1905, em Glogowiec, perto de Lódz na Polônia. Foi a terceira filha de uma pobre família de dez filhos e, desde pequena, teve inclinação para a oração e para o trabalho. Aos dezessete anos, deixou a casa paterna e foi trabalhar em casas de família para ajudar os pais. Aos vinte anos, entrou para a Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia, na qual passou os treze últimos anos de sua vida, e passou a chamar-se, após os votos, Maria Faustina.

Desde pequena teve um grande desejo de buscar a santidade e por ela lutou com todas as suas forças, por amor a Jesus Cristo. Estava sempre pronta a salvar almas e oferecia seus sofrimentos pelos pecadores. Os anos de sua vida religiosa foram marcados por sofrimento e, ao mesmo tempo, por graças místicas. O Senhor concedeu a ela dons extraordinários, como: visões, aparições, participação na Paixão de Cristo, união mística e o conhecimento do mistério da Sua misericórdia.

À esta religiosa polaca, simples e sem instrução, mas forte, humilde e marcada por uma ilimitada confiança em Deus, o Senhor revelou palavras surpreendentes: “No antigo Testamento enviei ao meu povo os profetas. Hoje mando à humanidade a minha misericórdia. Não quero punir a humanidade que sofre com o pecado, mas desejo guiá-la e trazê-la ao Meu coração misericordioso”.

Santa Faustina, consumida pela tuberculose, aceitou todo o seu sofrimento como sacrifício pelos pecadores. Morreu em Cracóvia, no dia 5 de outubro de 1938, com a idade de trinta e três anos.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.