O pai que Deus quer

Toda paternidade vem de Deus; isto é, somos pais porque Deus nos deu o poder de gerar. Somos assim cooperadores de Deus na sua obra mais importante. Mas é preciso lembrar que o ato de educar é o prolongamento do ato de gerar, é como se fosse um mesmo ato. E o pai tem um papel preponderante na educação dos filhos, por ser ele o cabeça do casal.

Um bom pai, bondoso, equilibrado, amoroso com os filhos e com a esposa. Responsável e trabalhador. É a garantia de uma família feliz.

Para ser um bom pai é preciso antes de tudo ser bom esposo, fiel à esposa; pois sem isto não há paz no lar, e sem paz os filhos não podem ser felizes.

Para ser um bom pai é preciso ser um homem religioso, que reza com a família, que educa os filhos na religião e nas virtudes, pois sem Deus e sem a educação a criança se torna temerária.

“Aquele que ama o seu filho corrige-o com freqüência, para que se alegre com isso mais tarde” ( Eclo 30,1).

Infelizmente são muitos os pais que não corrigem os seus filhos, ou porque são relapsos como pais, ou porque também precisam de correção, já que também não foram educados.

“Um cavalo indômito torna-se intratável, a criança entregue a si mesma torna-se temerária” (Eclo 30,8).

Não pode haver mal maior do que deixar uma criança abandonada, materialmente, mas principalmente na sua educação.
Muitos pais, vendo os filhos errarem, não os corrige.

Temos que ensinar o filho usar a liberdade com responsabilidade. Não dar-lhe “toda” liberdade.

“Não lhes dê toda a liberdade na juventude, não feches os olhos sobre as suas extravagâncias” (Eclo 30,11).

Vi certa vez uma frase, em um adesivo de automóvel, que dizia: Adote o seu filho, antes que o traficante o faça. De fato, se o pai não conquistar os filhos, com amor, carinho e correção sadia, eles poderão ir buscar isto nos braços de alguém que não convém.
O fator mais importante na educação é que os pais saibam conquistar os filhos; não com dinheiro, roupa da moda, tênis de marca, etc, mas com aquilo que eles são; isto é, a sua conduta, a sua moral íntegra, a sua vida honrada e responsável. O filho precisa ter “orgulho” do seu pai, ter prazer de estar com ele, ser seu amigo. Assim ele ouvirá os seus conselhos e as suas correções com facilidade.

Mas para conquistar o teu filho você precisa gastar pouco dinheiro com ele, mas terá de gastar muito tempo e dedicação.

Sobretudo é primordial o respeito para com o filho; levá-lo a sério, respeitar os seus amigos, as suas iniciativas boas, etc. Se você quer ser amigo do seu filho, então deve tornar-se amigo dos seus amigos, e nunca rejeitá-los. Acolha-os em sua casa.

Muitos pais erram ao mandarem os seus filhos para a casa dos outros para ficarem livres deles, ou para que não façam bagunça em casa; é um grande engano. Deixe que o seu filho traga os seus amigos para a sua casa; então, você os poderá conhecer e evitar as más companhias para eles.

O educador francês André Bergè, diz que “os defeitos dos pais são os pais dos defeitos dos filhos”. Parafraseando-o podemos dizer também que “as virtudes dos pais são os pais das virtudes dos filhos”.

“Pais, não deis a vossos filhos motivo de revolta contra vós, mas criai-os na disciplina e correção do Senhor” (Ef 6,4).
O bom pai é a verdadeira imagem do bom Deus para o filho.

Feliz dia dos pais!!!


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.