O mundo unido por uma bola

Eu gosto muito de futebol. Cresci jogando bola na rua e torcendo para o Flamengo, meu time do coração, e vibrando com a seleção brasileira de futebol a cada quatro anos na Copa do mundo. Já tive muitas alegrias e decepções acompanhando os jogos. Mas não posso negar que o futebol é uma escola de vida para todos nós. Onde disciplina, vontade de vencer, capacidade de superação, talento, garra, esforço de convivência comunitária e o espírito de companheirismo são fundamentais para o bom êxito e a vitória de uma equipe.

O excesso de confiança e orgulho já derrubaram times e seleções extraordinárias. Isto me lembra, por exemplo, a seleção brasileira que foi a Copa em 1982. Talvez umas da melhores seleções de todos os tempos. Cada partida, com aquela seleção de craques como Zico, Sócrates, Falcão e companhia, era um verdadeiro espetáculo para o mundo contemplar e admirar. Numa tarde fatídica, quando aquele time precisava de apenas um empate, caiu diante da seleção italiana que vinha de uma medíocre campanha na primeira fase da Copa e que acabou tornando-se campeã daquele Campeonato.

Nesses dias, o mundo está reunido em torno de uma bola. Mais de um bilhão de pessoas acompanham o esporte mais popular de todo o planeta. Cada país torcendo e vibrando pela sua seleção. Mas somente uma experimentará o sabor da vitória final. Como bom brasileiro que sou, espero e torço para que seja a nossa seleção. Porém, já aprendi a lição “que quanto mais alto o prédio, maior será a queda”. A humildade é a virtude dos seres humanos nobres de alma. É o remédio para combater o excesso de confiança, o orgulho exagerado, a tendência ao isolamento e ao individualismo. Os nossos craques de futebol precisam de muito talento e humildade para ser vitoriosos.

A Copa do mundo de futebol abre as portas para a festa de confraternização dos povos. Adversários se dão as mãos e são capazes de competir entre si sem serem inimigos. A mais nova nação do mundo se chama Montenegro, separada recentemente da Sérvia, antigas repúblicas da ex-Iugoslávia, e formam neste mundial uma mesma seleção mesmo que separadas geograficamente e politicamente. Enfim, mesmo que apenas uma seleção seja a vencedora, a bola rolando torna o mundo menor e fraterno. O que parece ser mais importante é vencer no campo, contudo, a vitória é de todos os que competem para serem melhores, sem precisar destruir o adversário. A vitória é de quem sabe competir sem oprimir. Vencer sem menosprezar. Ganhar sem se gabar. Perder sem esmorecer. A vitória é de quem cai hoje mas, já está de pé para amanhã jogar de novo. Assim na vida, assim no futebol.

Uma Copa de muitas vitórias para todos os povos!!!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.