O grande sonho de Dom Bosco

Aos nove anos, Dom Bosco teve o primeiro grande sonho, que marcou sua vida inteira. Ele viu uma multidão de garotos pobres que jogavam e blasfemavam. Quando de repente um Homem de aparência majestosa apareceu a ele dizendo: “Com mansidão e caridade conquistará esses jovens amigos”; e de repente uma Senhora com majestade acrescentou: “Faça-se humilde, forte e robusto, e no tempo certo entenderá tudo”.

Os anos que seguiram foram direcionados por aquele sonho. Filho e mãe viram nele a indicação de um caminho de vida.

João tentou imediatamente fazer algo de bom para os garotos. Quando os artistas de trumpete anunciavam algum local de festa próximo às colinas, João ia e sentava logo na primeira fileira para assisti-los. Ele estudava malabarismo, truques e acrobacias. Um Domingo à tarde, João fez sua primeira performance para as crianças da vizinhança: o equilíbrio com potes e panela no topo do seu nariz, e logo depois pulou em uma corda presa a duas árvores, e foi aplaudido pelos jovens espectadores. Antes da grandiosa conclusão, repetiu para eles o sermão que escutou na missa pela manhã e convidou todos a rezar. Os jogos e a palavra de Deus foram transformando seus jovens amigos, que desejavam rezar em sua companhia.

O pequeno João aprendeu que para fazer o melhor para tantos meninos precisava estudar e tornar-se um padre. Mas seu irmão Antônio, um camponês sem estudo com já 18 anos, não quis escutar esse desejo de João…Ele tomou seus livros e ainda bateu nele.

Em uma manhã fria de Fevereiro de 1827, João deixou sua casa e foi procurar trabalho como funcionário de fazenda. Tinha apenas 12 anos, mas a vida em casa estava insuportável, por ter que conviver com a agressividade de Antônio. Ele trabalhou na fazenda dos Moglia, Próximo a Moncuco, durante três anos. Levava o gado para pastar, tirava leite das vacas, repunha feno e percorria o campo com o gado. Durante longas noites de inverno e durante o verão, sentava em baixo das árvores enquanto o gado pastava, e depois voltava para os livros e estudos.

Antônio casou três anos depois. João retornou para casa e concluiu sua escola, primeiro em Castelnuovo e depois em Chieri. Para suportar suas necessidades ele aprendeu a trabalhar em funções: como alfaiate, ferreiro, empregado de bar e até dando aulas de reforço aos alunos após as aulas de classe.

Ele era inteligente e brilhante, e os melhores estudantes da escola o cercavam. Ele fundou o que foi conhecido como Clube da Alegria. Aos vinte anos de idade, João Bosco tomou a mais importante decisão de sua vida: entrar para o seminário. Seguiu seis anos de seus intensos estudos e depois tornou-se padre.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.