O gesto e a recompensa

Dai, e vos será dado. É uma boa medida, socada, sacudida, transbordante, que derramarão nas dobras da vossa veste, pois a medida de que vos servis servirá também de medida para vós‘. (Lc 6, 38)

Certamente você já recebeu um presente de um amigo e sentiu a necessidade de retribuir? Retribuir, não tanto por obrigação, mas por um verdadeiro amor, cheio de gratidão? Se isto acontece com você, imagine então com Deus que é Amor. Ele retribui sempre todo bem que fazemos ao nosso próximo em seu nome. É uma experiência que os verdadeiros cristãos fazem constantemente. Poderíamos usar a frase: «Recebereis uma medida boa, calcada, sacudida, transbordante», para explicar a grandeza de Deus, a abundância com que ele retribui.

Na Canção Nova a cada dia somos chamados a dar, dar de nós, dar tudo, investir no Reino todos os dons que recebemos. Fomos feitos para os outros. Freqüentemente recebemos em nossa casa pessoas necessitadas materialmente, mas, principalmente espiritualmente, pessoas que esperam uma palavra amiga, um gesto acolhedor, um sorriso… não esperam muito, mas o que podemos dar. E você, já fez essa experiência? Se ainda não, lembre-se de que é preciso doar desinteressadamente, sem esperar nada em troca, a quem quer que lhe peça algo.

Experimente! Não para ver o resultado, mas porque você ama a Deus. Você poderá dizer: mas eu não tenho nada. Não é verdade. Se quisermos, temos verdadeiros tesouros: o nosso tempo livre, o nosso coração, o nosso sorriso, o nosso conselho, a nossa cultura, a nossa paz, a nossa palavra para convencer aquele que tem bens a partilhá-los com os que não têm. Talvez você não saiba a quem doar. Olhe ao seu redor: você se lembra daquele doente no hospital, daquele vizinho, daquela família que passa dificuldades, daquele colega tão desanimado porque não consegue um emprego, daquele jovem triste, daquele amigo na prisão, daquele que mora com você e suplica um gesto de carinho? É neles que Cristo espera você.

Assuma o comportamento novo do cristão do qual o Evangelho está todo impregnado. Renuncie a colocar a sua segurança nos bens da terra e apóie-se em Deus. É assim que você mostrará a sua fé nele, a qual logo será confirmada pela retribuição que chegará às suas mãos. E é lógico que Deus não se comporta assim para enriquecê-lo ou para nos enriquecer. Ele o faz para que outros, muitos outros, vendo os pequenos
milagres do nosso dar, façam o mesmo.

Vivemos nesta semana a linda experiência de colocar nossa segurança no Senhor. Uma das meninas da nossa Comunidade de Aracaju, precisou retirar dois dentes do ciso e no seu pós-operatório deveria tomar antiinflamatórios e antibióticos. Não sabíamos como iríamos providenciar aquela receita médica, pois naquele dia não dispúnhamos de nada. Ao sairmos do consultório odontológico, uma amiga médica esperava por nós para nos doar as amostras grátis. Naqueles primeiros dias sua alimentação deveria ser especial, e chegou até nós ainda no mesmo dia exatamente o que ela precisava para se alimentar. Tudo o que recebemos foi uma forma generosa de gratidão destas pessoas, que um dia pudemos ajudar com o nosso pouco.

Deus faz assim porque, quanto mais tivermos, mais poderemos dar. A fim de que, como verdadeiros administradores dos bens de Deus, façamos circular tudo na comunidade ao nosso redor, até que se possa dizer a nosso respeito o que se dizia da primeira comunidade de Jerusalém: ‘Não havia nenhum indigente entre eles’. ‘Dai e vos será dado‘. Certamente Jesus pensava em primeiro lugar na recompensa que teremos no paraíso; mas tudo o que acontece nessa terra já é um prelúdio e uma garantia disso.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.