Nós somos de Deus

Há um desejo no coração das pessoas: o desejo de comunhão com Deus.
Talvez as pessoas queiram fazer comparações. Será que as outras gerações, pessoas e épocas eram melhores que a nossa?

Talvez estejamos desprezando a graça que Deus quer fazer agora. O tempo de nossa existência é hoje. Por isso que a Carta aos Hebreus diz que precisamos aproveitar o ‘agora’ da graça.

O tempo da graça, da misericórida é hoje, e que ninguém desperdice esse tempo agora.

Ao falar que ‘nós somos de Deus’, lembrei-me da história que se contava em minha cidade – Nova Lima – MG, quando os bandeirantes procuravam por ouro. Esta nos conta que os exploradores se embrenharam pela mata afora e, chegando em um certo lugar, se assustaram ao se depararem com uma moça muito bonita que lhes disse: ‘O que vocês estão fazendo em minhas terras?’ E estes disseram-lhe: ‘Minhas terras! Essa terra é dos portugueses’. E ela lhes respondeu: ‘Essas terras são minhas e vocês irão construir uma casa para mim! ‘. Eles realmente construiram uma igreja – a de Nossa Senhora do Pilar – padroeira da minha cidade.

Provavelmente vocês devem saber a dificuldade das pessoas com relação à propriedade: “sou dono dessa caneta”, “aquela gaveta na nossa casa… ai de quem mexer!…”; “essa é minha roupa, aquele é meu carro, minha propriedade, minha terra…”; quantos conflitos por causa de herança, quantas famílias que brigam, passando de geração em geração, e nunca termina porque todos querem seu pedaço.
Então há uma frase que diz:

A minha liberdade termina quando começa a liberdade do outro.
Desde pequeno definimos nossos espaços e queremos defender nossos espaços.

Agora eu faço uma pergunta: ‘quem é o dono do seu nariz, da sua cabeça, quem comanda suas decisões?’ Quem manda nas minhas decisões?
Tenha uma resposta honesta – ela pode não ser agradável, bonita.
Na minha intenção quero que Deus seja dono, mas na hora do vamos ver, percebemos que há outros proprietários – coisas ou situações dentro de mim que me levam a decidir pelo impulso imediato.

É muito mais fácil cumprimentar uma pessoa bonita que uma feia. Agüentar uma pessoa chata ao seu lado é duro. Chegamos numa mentalidade que está como na técnica: está à procura de cura para as doenças, com a história de clonagem, onde o Papa fez sérias observações sobre isso.
Não basta dizer: “eu quero e faço tudo o que vem na minha cabeça”.
Há limites que ocorrem pelo valor da pessoa. É possível descobir enfermidades na criança ainda no ventre da mãe, e pensa-se: “é melhor eliminar antes”.

Quem manda na sua vida, na sua inteligência, quem manda nas suas decisões?

Vou tomar algumas frases dos Capítulos 1 e 2 do livro do Gênesis, que fala como Deus criou o mundo: ‘Deus pensou o mundo, e criou tudo’ ‘façamos o homem …’E fez homem e mulher’.
Deus pensou o mundo: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança – foi uma obra de arte a criação de Deus. Pois Deus faz bem todas as coisas, tudo o que sai de suas mãos é uma obra prima.
‘Deus terminou a obra de sua criação e viu que tudo era muito bom’ – do jeitinho que ele pensou – tudo é muito bom!

Dá para perceber como podemos encontrar o caminho para a felicidde, quando eu reencontrar o jeito de Deus para fazer as coisas.
Aí aparece a tentação, com Adão e Eva. A serpente disse: ‘se comerem vocês serão como Deus’ – aí está o poder; eu dizia: com a minha cabeça, eu vou dizer o que é bom o que é mal, eu que vou inventar. Se eu acho que ele me incomoda, não outro critério. O dono da idéia sou eu e eu vou eliminar.

A mentalidade do mundo hoje é matar, eliminar, acabar um com o outro, parecendo aquela criança diante de um filme que quer uma metralhadora para matar todo mundo. O resultado é a frustração completa, porque o demônio entrou, eles caíram e comeram… o grande pecado é a desobediência.

A palavra ‘obediência’ significa ‘prontidão para ouvir’. Desobedecemos porque desaprendeu o ouvido, não quer escutar uma pessoa que é direção para sua existência. É preciso aprender a ouvir, a acolher, porque sempre há uma voz que diz ‘você é bobo, você que é dono das coisas, para que escutar? É mais fácil viver pela própria conta, que a decisão é só tua, dizendo que é a medida das coisas’ e se arrebenta porque não foi criado assim.

Isso pode comprometer a sua liberdade. Não sei qual sua idade. Os adolescentes dizem que são donos de si: “nem o pai nem a mãe mandam em mim”.
O amor com o pai e a mãe, essa dependência de amor, o partilhar as coisas, que significa obediência, comunhão, é vida para gente, e não faz mal a ninguém.

Deus disse no Evangelho: ‘A verdade vos libertará”. Quando vivo essa palavra, eu não me escravizo, me dá alegria e gosto pela minha existência. Ele faz assim comigo e realiza isso em sua vida.

Vou voltar à Nossa Senhora. Em Lucas diz que Nossa Senhora vivia em Nazaré. O anjo lhe aparece, ela tinha 14 a 15 anos. Quando o anjo diz que ela seria a Mãe do Salvador, ela disse ‘eu não conheço homem’. Ele disse: ‘o poder do Altíssimo lhe cobrirá com sua sombra”. Quando Maria ouviu: ‘é coisa de Deus’ a única resposta que deu foi: ‘eis a escrava do Senhor! Faça-se em mim segundo a vossa palavra’, e mudou a história do mundo porque alguém quis ser escravo!

E eu querendo ser dono do meu nariz, dos critérios para o certo e errado, dono do mundo, e uma menina de 14 a 15 anos sendo a escrava do Senhor, mudando a história deste mundo: “o verbo se fez carne e habitou entre nós”.

Se eu me torno escravo de mim mesmo é um desastre. Se eu me escravizo a alguém é um duplo desastre. Se me escravizo a um vício é um desastre total.

Maria se tornou escrava do Senhor. Qualquer outra servidão estraga a vida da pessoa. Mas quem se torna escravo do Senhor, encontra o caminho da verdade, da liberdade. Quem deixou Deus tomar posse de sua vida encontrou a felicidade.

Deus não pede um pedacinho de você, independente da sua vocação ou do que é ou o que faz da vida, Deus quer tudo porque ‘nós somos de Deus’.

Maria é livre, como Deus quer que você seja livre como plano para a sua existência. Esteja convicto que a nossa liberdade está em Deus, nossa plena liberdade está Nele. Por isso é preciso uma grande coragem para rever a sua vida, para identificar as fugas da vontade de Deus. Se você quer aceitar ser escravo, que Deus seja dono de sua vida para que você seja livre, é preciso que você busque a água na fonte certa.
Jesus disse no Evangelho: “Do meu seio hão do brotar rios de água viva”.
Parece que temos em nós fontes de águas paradas, apodrecidas… cisternas de águas rachadas, quando não buscamos a fonte de água viva.
Onde você encontra o Senhor dessa fonte de água viva para beber? Na Eucaristia.
O Papa dizia no Novo Milênio Ineunte: “a participação da Eucaristia dominical seja hoje um sinal que você tem a certeza de expressar sua identidade, e sua liberdade”, porque um dia você foi capaz de dizer como Nossa Senhora: “eu sou escravo do Senhor”.

Água pura da fonte: A Palavra de Deus. Muitos saíam porque achavam as palavras de Jesus muito duras. Se você quer vencer e tirar toda a reserva de domínio e dar tudo para Deus, ‘só tu tens palavras de vida eterna’.

Muitas vezes parece que Deus não tem lógica porque Ele pede coisas que são fortes em nossa vida.

Ir atrás do Evangelho é buscar as coisas que não têm explicação humana.
Você quer continuar a ser dono do seu nariz ou quer proclamar: ‘nós somos de Deus’? É um desafio.

Ele também está presente em cada irmão – onde existe uma presença fabulosa do Senhor e Ele tem algo a te dizer ali. Ele está dentro de nós, quando buscamos aprofundar o relacionamento direto com Ele.

Ele quer que você o busque – na Eucaristia, nos irmãos, na Palavra… Se você tem coragem para tirar um tempo pessoal para a oração dizendo ‘eis o escravo do senhor’, se você não tiver medo de dizer ‘minha vida tem dono’; a terra do meu coração já foi adquirida por um alto preço pelo sangue de Jesus. E por favor, empenhe-se para que essa vida torne-se uma praça publica onde se joga toda sujeira.

Não podemos deixar que a propriedade de Deus, que a vinha do Senhor que é nosso coração seja invadida por bárbaros… Porque nós somos de Deus!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.