Natal

O natal é a manifestação da bondade e do amor de Deus para com os homens, o qual traz a graça de sua salvação para todos, porque Deus falou definitivamente na pessoa de seu Filho. Esse Filho falou com palavras humanas inteligíveis aos homens porque se fez homem como eles.

Deus manifesta-se por meio da encarnação de seu Filho no seu Filho no seio de Maria por obra do Espírito Santo. Ele não podia manifestar-se mais sensivelmente, nem falar mais inteligivelmente (cf. Hb 1,1-3), do que se fazendo homem.

Mas, a finalidade da encarnação não pode ser outra que a redenção do homem; por nós pode ser outra que a redenção do homem; por nós e por nossa salvação, como prega o símbolo da fé. A redenção é o intercâmbio é o intercâmbio sagrado em que o homem se salva e chega a participar da natureza de Deus (2Pd 1,4). Por isso, as festas do Natal e da epifania são festas do inituin redemptionis; no nascimento do Redentor, saudamos e celebramos nossa redenção que se cumprirá a páscoa, uma, vez que sem nosso corpo – o verbo de Deus não teria podido morrer realmente e ressuscitar.

O que dissemos, levamos não a contemplar o aniversário de Jesus em primeiro lugar, mas, a celebrar o mistério de sua manifestação ao mundo para salvar os homens na humildade de nossa carne, carne que Ele assumiu no seio de Maria Virgem por obra do Espírito Santo, e que por meio do nascimento em nossa natureza mortal revelou-se ao mundo como seu único Redentor verdadeiro.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.