Não se troca de mãe!

Um amigo meu de longa data, recentemente mudou de religião. Entre seus argumentos, citou o fato de que a Igreja católica esta perdendo adeptos e o pentecostalismo está crescendo. Segundo ele, o cristianismo vai acabar e o novo milênio será do Espírito Santo. Não quis ficar numa religião que está agonizando.

Brinquei dizendo que ele estava abandonando o navio enorme da Igreja Católica, que ele imagina que está afundando e, por isso, embarcou num navio pequeno, que acha que vai ser o navio do milênio. Em resumo: tem certeza que o grande navio dos outros afundará, mas o pequeno navio da sua nova Igreja não vai afundar. Acrescentei que durante os 20 séculos de existência do Cristianismo e pelo menos os 17 séculos da Igreja no poder em Roma, viram passar mais de duas mil religiões e seitas com esta mesma conversa. Elas estavam crescendo e seriam as religiões do novo tempo. Duraram 20 a 200 anos e acabaram. A Igreja que eles declararam moribunda, bem ou mal, está aí com quase um bilhão de adeptos. O nazismo que ia conquistar o mundo, não durou 15 anos; o comunismo não durou 70 e outros “ísmos” também acabaram depressa.

Olhou-me cheio de convicção e disse: “Mas nós temos o Espírito Santo!”. Respondi-lhe que se era por isso, minha Igreja além do Espírito Santo, tinha Jesus e o Pai, de quem procede o Espírito Santo. Por isso, eu acreditava e acredito que, mesmo com um rombo no casco, minha Igreja não vai afundar. Desejei-lhe boa sorte neste novo navio, porque eu estava seguro e feliz na minha enorme e antiga Igreja, cheia de problemas, mas linda e maravilhosa. Não troquei de mãe quando ela ficou doente; não troco de Igreja quando ela sofre alguma crise. Não se troca de mãe e de Igreja por nenhum discurso ou promessa de sucesso, prosperidade, vitória ou garantia de céu. Minha Igreja tem um milagre diário que se chama Eucaristia e eu não a troco por nenhum milagre do mundo.

Continuamos bons amigos, mas alguma coisa deve tê-lo incomodado. Enviou-me pelo correio uma profecia de sua nova Igreja. Agradeci, enviando-lhe um Catecismo Católico. Sei que ele acha que está certo. Para não perder a batuta, ele também sabe que eu acho que estou certo. Almoçarei, jantarei junto e até trocarei idéias, mas de Igreja eu não troco. Comigo, milhões de católicos que pensam como eu penso. Foram evangelizados! Sabem o que é ter uma fé e uma Igreja. Quem não sabe, muda!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.