Namoro PHN

Um namoro PHN exige muita renuncia e determinação, pois não se namora para ser feliz mas para fazer o outro feliz.

Temos um namoro que graças a Deus tem dois anos e cinco meses. O qual a cada dia procuramos viver a direção que o Pe. Jonas nos deu: AFINIDADE.

O que por aí dizem que não dá certo na Canção Nova conseguimos, passarmos um ano e oito meses em missões diferentes, nos comunicando por carta e telefone, não foi fácil, os sentimentos nos assaltavam: saudades, desejos e espera. Eis a palavra chave ESPERA, esse esperar nos fez adquirir tempera e crescermos na afinidade. Neste tempo tivemos muitas tentações, dúvidas e medos. Diante de tantas dificuldade e tentações, “cantadas“, será que ele é o homem, mulher que Deus tem para mim? O tempo e as situações foram nos confirmando no carinho do dia a dia e o Maligno não coloca tentações, dificuldades naquilo que já é seu. O nosso namoro não foi um querer nosso, nem um querer do homem mais um querer do céu. Aos olhos humanos não era para darmos certo, Emerson mais calmo, Patrycya mais agitada e isso exigiu de nós muita paciência e renuncia de si mesmo.

Como esta escrito no livro de Tobias 7, 14 : “É o céu quem decide que ele, ela seja teu (ua)”!

O céu fez e esta fazendo a sua parte, hoje precisamos fazer a nossa. Há três meses que estamos juntos, havia toda um expectativa, a redescoberta do outro. E mais do que antes precisamos estar em ALERTA ! VIGIANDO ! Pois como todos os casais somos tentados na sexualidade, por isso precisamos conhecer muito bem o outro, (afinidade) para saber e perceber os dias em que não podemos ficar sozinhos ou dar beijos prolongados, dizer PHN com atos e não por ser algo que esteja na boca de todos, PHN! nos policiamos com nossas roupas, pensamentos, olhares…

Por isso Deus precisa estar em nosso meio, hoje aqui em Cuiabá temos recorrido a Divina Misericórdia e a Maria mãe da Divina Misericórdia.

Miser= necessidade, Cor= coração, Dia= dá, ou seja, dar o coração ao necessitado, somos os necessitados, porque. Por nós não conseguiríamos , Jesus e Maria nos sustentam.

Quando visto algo que não faz bem ao Emerson ele fala, amor ! Não seria bom essa roupa, daí eu tiro. Não é fácil para mim o que não tem nada para ele, por isso deve-se haver o diálogo a transparência acima dos gestos e carinhos. O que repetimos a cada dia e que nos ajuda é: – Você é Sacrário que está sob a minha responsabilidade. Assim vivemos a Castidade que é respeitar o corpo como Sacrário vivo que é! Jesus não falou que seria fácil, pelo contrário, “pegue a sua cruz e siga-me“. Como na tradição Croata que o Padre diz aos jovens casais que se preparam para o casamento: – “Você encontrou a sua Cruz é a cruz para amar, para carregar, uma cruz que não deve rejeitar mais AMAR!“. Amar que a cada dia nos leva a um sacrifício.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.