Na dor, permaneça firme!

Penso que um dos maiores desafios da vida é a espera. Somos limitados e não conseguimos, na maioria das vezes, resolver os problemas cotidianos na hora e do jeito que queremos. O mundo de hoje também contribui para que entremos em crise, em razão do imediatismo, das facilidades tecnológicas, por meio das quais tudo pode ser resolvido num simples “apertar de botão”. Essa realidade acaba refletindo em nos nossos pensamentos e em nossas emoções, que se desgastam dia após dia, enfraquecendo, assim, nossa fé e esperança.

Precisamos resgatar a confiança de que Deus está no controle de todas as coisas. Seja qual for a situação em que vivamos, Ele está cuidando de nós. O segredo da vitória na adversidade é a fidelidade.

Espere no Senhor! Jesus nos diz que: “Não há nada de oculto que não venha a ser revelado, e nada de escondido que não venha ser conhecido.” (Mateus 10,26). Deus conhece o nosso coração e sabe bem das nossas intenções… Mesmo que tudo pareça escuro, a luz virá no momento oportuno.

Quando a nossa confiança está no Senhor, tudo se resolve, exatamente, na hora certa, no lugar certo, com a pessoa certa, mesmo que nos tenha nos custado muito esperar. A recompensa é a alegria e a paz, que inundam o nosso ser, na certeza de que Ele tudo faz numa perfeição incomensurável. Peça ao Senhor a graça de perceber isso. Nas piores dores, calúnias, perseguições, não desanime, espere no Senhor que tudo vê!

A verdade e a luz sempre aparecem, até mesmo para aqueles que não acreditam nela.
Os sofrimentos são preciosos momentos, dos quais Deus se utiliza para nos “lapidar” e tirar as “crostas” mais duras, curando o nosso coração e manifestando a Sua glória. Podemos, seguramente, notar o quanto nos tornamos melhores depois da dor, quando buscamos a resignação na cruz de Jesus.

Nossa maior luta é a espera, pois até o maligno conhece os benefícios que a paciência causa naquele que sabe esperar. Deus jamais nos decepciona. Sabe exatamente do que necessitamos para ser felizes. Confie!

Firmeno-nos na promessa do Pai: “Suporta as demoras de Deus, agarra-te a Ele e não o largues para que sejas sábio em seus caminhos” (Eclo 2, 3).

Não estamos sozinhos, permanecemos com Aquele que nos ama, foi crucificado, morto, ressuscitado e ainda criou uma maneira de não somente ficar perto, mas, dentro de cada um pessoalmente, em comunhão: a Eucaristia. Em Jesus, celebrado e adorado, encontramos a força de que necessitamos para sofrer bem as demoras.

Fique na paz do Senhor!

Com carinho,

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.