Morrer de Amor

A vida humana é toda feita de luta. As circunstâncias podem variar, sendo mais leves ou mais pesadas. Nossa capacidade de enfrentar os problemas pode ser maior ou menor, dependendo do momento. As dimensões da luta também podem ser diferentes. Uma coisa, porém, é certa: não é possível eliminar as crises, as dificuldades e as provações.

Um dia Santa Teresa de Ávila, provalvelmente num momento de pessimismo, misturado a um sadio realismo, tinha escrito: a vida é uma péssima noite passada num péssimo hotel acontecem tantas coisas boas e cheias de beleza! A vida é o momento mais precioso que Deus nos oferece para que possamos amar e realizar o seu projeto. É o kairós, onde só a verdade acontece se nos sentimos felizes por aquilo que somos.

Os santos não têm medo da morte. Voam ao seu encontro com alegria, cantando as misericórdias do Senhor, mas esta força da esperança e da fé não diminui em nada o sofrimento da ruptura com a vida terrena e a entrada na vida nova da eternidade .

“Que te poderei dizer da felicidade que experimento em ter-me entregado a Ele? Não é uma felicidade qualquer a que sinto. É um céu a que possuo. Iniciei essa ocupação de amar e louvar que teremos na eternidade. Aqui no carmelo, só existe Deus. Vivemos mergulhados nele, em Sua atmosfera divina de paz e amor” { c-136}.

Eduardo Rocha Quintella
Fraternidade S. J. da Cruz OCDS-Belo Horizonte- MG
E- mail: eduardoquintella@superig.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.