Ministérios na Assembléia Litúrgica IV

“Filho do homem, come o que tens diante de ti, come este rolo e vai falar com a casa de Israel”.Abri a boca e ele me deu o rolo para comer. Em seguida, disse-me: “Filho do homem, ingere este rolo que estou dando e sacia-te com ele”.
Ez 3,1-3)

Assim deve agir o leitor antes de ocupar a estante da Palavra para fazer a leitura.
O leitor precisa ainda, ter conhecimento de que existem vários lecionários e como e quando usa-los.
O Lecionário Dominical é composto de três partes correspondentes aos ciclos de leituras de três anos. – a cada três anos voltam as mesmas leituras. O ano A percorre o Evangelho de São Mateus, o ano B o Evangelho de São Marcos e o capítulo 6 do Evangelho de São João, e o ano C ao Evangelho de São Lucas. Nas grandes solenidades e nos tempos fortes – advento, natal, quaresma, tempo pascal-, o evangelho é quase sempre o de São João.

A primeira leitura é tirada do Antigo Testamento e acompanha o sentido do Evangelho do dia. No tempo pascal, a primeira leitura é tirada dos Atos dos Apóstolos. O salmo de resposta acompanha o sentido da primeira leitura. A segunda leitura é independente. A aclamação ao Evangelho também está no lecionário porque ela acompanha o sentido do Evangelho.

O Lecionário Ferial traz as leituras selecionadas para os dias da semana. A primeira leitura e o salmo percorrem o ciclo de dois anos: ano par e ano impar. O Evangelho é o mesmo para os dois anos.
Alguns cuidados ainda devem ser tomados quanto a escolha do leitor. Ele não é alguém que vai discursar, mas sim proclamar a Palavra de Deus. É preciso que ele esteja seguro do texto que vai ler para que possa pronunciar de forma clara e segura as palavras, usando a entonação certa. Deve estar vestido de forma discreta e aguardar a resposta da assembléia ao final da leitura, para só então voltar ao seu lugar.

O Salmista faz parte da equipe de cantores e instrumentistas. Precisa saber cantar, salmodiar. Ele canta para a assembléia que o escuta atentamente, e responde com o refrão.
Nenhum outro canto deve substituir o salmo uma vez que eles são orações inspiradas por Deus. Também ele não deve ser proclamado pela mesma pessoa que fez a leitura. Deve haver um salmista que cante ou recite poeticamente as estrofes em forma de diálogo com a assembléia.

Como a leitura do salmo é diferente das outras, é bom e de grande significado que o salmista, ao proclamar as estrofes o faça da estante, não só olhando para a assembléia, mas também para o Cristo do altar, ressaltando assim a resposta do povo de Deus à sua Palavra.
Muitas outras considerações merecem ser feitas. É importante que nos preocupemos em celebrar bem e corretamente. Muitos são os documentos sobre o assunto e seria muito bom que nos informássemos mais sobre o assunto.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.