Minha vocação me fez feliz

A vocação é Dom de Deus, é semente divina plantada no coração da gente, que germina silenciosamente até dar frutos a seu tempo, dentro dos planos divinos a nosso respeito. Sempre dou graças a Deus pela minha vocação. No terreno fecundo da fé e do amor da família ela germinou e se fortaleceu nesse belo santuário da vida cristã.

Batizada em Curitiba, fui crescendo na fé junto com meus pais e irmãos. Com eles aprendi a rezar, amar e confiar sempre em Deus e na Virgem Maria. Guardo ainda no coração, o lindo cenário da família reunida para rezar o Santo Rosário.

Após a Primeira Eucaristia, freqüentei a Escola paroquial de Umbará, dirigida, naquela época, pelas Irmãs Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus. Ali, diante do testemunho das Irmãs que eram minhas professoras, me encantei com o ideal de ser um dia como elas. O chamado de Deus se manifestou claro. Com alegria fui me revelando: eu também quero e serei religiosa e Apóstola do Sagrado Coração de Jesus. As motivações eram puras, mas deviam ainda crescer à luz do seguimento fiel a Jesus.

Na Escola e na convivência com as Irmãs, a graça da vocação despertou como uma flor que tomou cores e se fez resposta no meu coração de jovem. Não resisti mais ao convite e ao encantamento por Jesus, pelas coisas de Deus e seu Reino.

Dei o meu “sim” e com determinação parti para o Colégio Sagrado Coração de Jesus, de Curitiba, onde recebi a primeira formação no juvenato e mais tarde, com 18 anos, em São Paulo, fui aceita no Noviciado. Trazia no coração a vontade firme de prosseguir no ideal da consagração com o Carisma de Madre Clélia Merloni, fundadora do Instituto e apaixonada pelo reinado do Coração de Jesus no mundo.

A vocação é um mistério e para entendê-la é bom reportar-se à vocação de Jeremias, onde podemos contemplar a ação de Deus e seus planos para cada vocacionado. “Antes que no seio materno fosses formado, eu já te conhecia; antes do teu nascimento, eu já te havia consagrado, e te havia designado profeta das nações;” (Jer 1, 5). “Não temas, porque estarei sempre contigo” (1, 8).

O amor de Deus é infinito em seus desígnios para com seus filhos. Colocar-me sem medo nos caminhos de Deus e com sua graça e bênção semear a esperança, a verdade e vida mais plena de paz. Quem segue sua vocação é feliz e se realiza dentro dos ideais de vida mais nobres, servindo a Deus na Igreja, como testemunho de vida e de fé junto aos irmãos que nos cercam.

Já celebrei o meu “Jubileu Àureo” de Consagração Religiosa. Depois do batismo, a maior graça que experimento é a graça da fidelidade à minha vocação. Sou profundamente feliz e agradecida pela abundância de bens espirituais que recebi como Apóstola do Sagrado Coração de Jesus. O lema que me acompanha na vida, no apostolado e missão que me foi confiada é: “O Amor de Cristo me impele”.

No percurso do tempo, sinto que “algo mais da minha vida consagrada” pude doar às crianças, aos jovens, às famílias e aos amigos como Apóstola educadora e filha de Madre Clélia Merloni. Com a minha vocação tenho o compromisso de anunciar a todos, tornar visível, a presença amorosa e salvadora de Jesus Cristo.
“De graça recebestes, de graça deveis dar” (Mt 10, 8).

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.