Minha experiência com a Divina Misericórdia

No Diário de Santa Faustina podemos ler várias vezes passagens do diálogo entre ela e Jesus Misericordioso onde o próprio Jesus manifesta, através dela, a sua infinita misericórdia e bondade para com toda a humanidade. Através desse diálogo íntimo de uma alma totalmente mergulhada na presença de Deus foi que eu pude conhecer e também experimentar a Misericórdia de Deus que se manifesta diariamente em nossas vidas.

È ‘engraçado’ perceber que tantas vezes a Misericórdia de Deus se manifesta em nossas vidas e nós não percebemos e nem se quer lhe damos atenção. Estamos acostumados com grandes acontecimentos e esperamos o mesmo de Deus, assim nos esquecemos de que Deus é simples e nos fala nos pequenos acontecimentos da vida.
Partilho agora com vocês algo que aconteceu comigo.

Certo dia recebi uma notícia que me deixou muito aflita, percebi que naquele situação Deus estava me pedindo que eu o entregasse aquilo que me era mais importante naquele momento. Como quando pediu a Abraão a vida de Isac, que era o que Abraão tinha de mais valioso, seu filho único, dado por Deus já na sua velhice. Foi difícil aceitar aquele fato, mas Deus sabia de toda disposição interior que eu tinha e ainda tenho de acertar, de fazer sempre aquilo que é da vontade Dele.

Nesse dia o meu estudo da palavra falava sobre sacrifício e era justamente o que Deus me pedia naquele exato momento. Fiz o estudo e como de costume rezei com a palavra de Deus. Disse a Deus que eu estava entregando a Ele o que de mais precioso eu tinha e que me custava muito fazer aquilo, mas mais do que tudo eu queria ser obediente e dócil a vontade Dele para não errar e nem ferir o Seu coração.

Entreguei a Deus o ‘meu Isac’ com toda a sinceridade e disposição da minha alma, me humilhei e dei a Deus aquilo que mais do que meu, era Dele. Lembro-me também que antes de fazer meu estudo fui a missa e lá disse a Jesus que estaria entregando a Ele o que me pedia e que oferecia aquele sacrifício pelas pessoas que estivessem passando pela mesma situação que eu ou até por algo mais difícil.

Após essa oração de entrega fui impulsionada pelo Espírito Santo a pedir a Misericórdia de Deus sobre esta situação. Parece contraditório Ter entregue o ‘meu Isac’ totalmente a Deus e ao mesmo tempo pedir a Misericórdia sobre ele, mas entenda que não foi uma decisão e nem uma vontade meramente humana, foi algo Divino que me impulsionou a pedir. Confesso que eu mesma achei estranho Ter entregue e depois pedir, mas eu sabia que não era eu e sim o Espírito Santo que me levava a isso, por isso fui dócil e pedi.

Clamei com toda fé que tenho na Misericórdia Divina e derrepente fui sendo invadida por uma profunda confiança e certeza de que Deus estava me devolvendo o que eu o havia entregado. Era com se Ele estivesse me dizendo: ‘Filha, agora eu sei que me darias tudo, até o que para você é mais importante e precioso, por isso estou lhe devolvendo o ‘seu Isac’, sei que darias tudo por mim‘.

Às palavras são impotentes para explicar o que vivi naquele momento, elas não são capazes de definir essa experiência de visita da Misericórdia em minha alma. Logo em seguida abri a Diário de Santa Faustina e tirei a seguinte passagem: ‘Minha filha, todas as tuas misérias foram consumidas no fogo do Meu amor, como uma palha lançada num enorme braseiro. E, com está humilhação, estás atraindo sobre ti e sobre as outras almas todo o mar da Minha Misericórdia‘. (D. Santa Faustina n.º 178).

Foi a palavra de confirmação para tudo o que eu estava experimentando naquele momento. Estava tomada de uma profunda paz interior e de uma confiança absoluta naquilo que Deus havia feito, nenhuma possibilidade humana de que algo desse errado me tirava essa paz e essa certeza. Deus havia derramado sobre mim a sua Misericórdia e me agraciado com o seu favor.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.