Lembranças de minha mãe

Há poucos dias fiz um estudo mais detalhado sobre um aspecto próprio de nossa vida: a Divina Providência. Muitas cenas da minha vida, especialmente da minha infância, me vieram à mente. A mais antiga que lembrei-me foi a recordação de um fato quando eu tinha 2 anos de idade.

Entrei num quartinho que tínhamos no fundo de nossa casa e meus pais estavam arrumando a bagunça. Ouço como se fosse hoje a voz de minha mãe dizendo:
“- Não chega perto dessa prateleira porque você pode se machucar!”

Eu, criança, não dei muita atenção, me aproximei das prateleiras e em menos de um minuto aconteceu o que minha mãe havia previsto: o acidente. Um vidro de ácido caiu no lado direito do meu rosto. Minha mãe me pegou mais que depressa e me levou para o tanque de lavar roupa e ali num impulso de desespero tentava me ajudar. Lembro dela jogando água no meu rosto e eu meio que “afogada” na situação… depois disso as lembranças se perderam. Também… 24 anos já se passaram – não era para menos.

Fiquei pensando sobre isso e quis registrar aqui o amor de minha mãe. Ela podia ter brigado comigo – afinal eu estava errada -, podia ter me corrigido severamente e no entanto não o fez. Naquele momento ela só me amou e cuidou de mim.

Hoje não tenho nenhuma cicatriz no rosto. As pessoas nem imaginam que um dia isso aconteceu comigo – não há nenhum sinal, mas tudo graças ao amor de minha mãe.
Penso ainda que se ela não tivesse cuidado de mim naquele momento, certamente eu traria marcas no rosto e outras mais profundas na alma, pois teriam sido gerados muitos traumas em mim.

Graças a Deus, minha mãe é uma mulher muito boa, alguém que sabe amar com suas atitudes e por ter cuidado de mim deixou em meu coração, na minha lembrança e na minha alma, marcas de amor que sem dúvida fizeram de mim uma mulher muito melhor.

Quando estou cuidando das crianças, às vezes me pego tendo reações idênticas às da minha mãe e que, graças a Deus, são reações boas: de zelo, de cuidado e de muito amor… (Ah… Se não fosse ela…)

Mãe, obrigada por tudo! Você me construiu como mulher, como consagrada e com certeza como mãe também, pois apesar de ainda não ter filhos, posso experimentar isso quando cuido dos meus sobrinhos. E o amor deles por mim mostra que aprendi direitinho. Ah, mãe! Os seus netos chegarão em breve. Acredite!
Te amo, mãe!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.