Jesus é o caminho verdadeiro

Jesus morreu com 33 anos, e pelo menos deve ter ido à Jerusalém 33 vezes, porque é preceito. Jesus estava acostumado a ir para Jerusalém. Ele saia de sua região, e ia caminhando pelo deserto, sem pressa. Se você quiser morrer no deserto é só caminhar rápido. Jesus foi pelo menos 33 vezes a Jerusalém, atravessando o deserto num calor de 45 graus. E Ele fazia questão de passar pelos confins das cidades, e confins significa periferia. Ele se desviava da civilização e ia para os confins, onde estavam os excluídos, leprosos, ladrões, cegos, coxos, mancos, pessoas que foram esquecidas.

Os dez leprosos gritavam por Jesus. Naquela época os leprosos eram afastados da sociedade, e carregavam um sininho para avisar que eles eram leprosos, e assim, as pessoas não se aproximavam deles. A fama de Jesus chegou aos confins da terra, nas cavernas. A fama daquele homem que deixou o cabelo e barba compridos porque tinha feito um voto de consagração a Deus. Existem muitos fenômenos hoje, mas Jesus foi o maior fenômeno. Naquela época existia uma lei que fazia todo o leproso que fosse curado, que se apresentasse ao sacerdote, e o sacerdote examinava e em seguida escrevia uma carta afirmando que ele poderia se reintegrar à sociedade.

Jesus disse a eles para se apresentar ao sacerdote. Eles não entenderam porque para eles se apresentarem ao sacerdote tinham que estar curados. Quando começaram a caminhar, eles foram sendo curados. Imaginem a festa que esses homens devem ter feito! E quando chegaram ao sacerdote estavam lisinhos, sem nada. Eu fico imaginando a emoção daquele caminho. E não podemos esquecer que Jesus é o Caminho, e Nele somos curados das nossas lepras. A lepra da camisinha, da Aids. A propaganda da Igreja, da Canção Nova é não use a camisinha, use a castidade. Existe um comercial Eu vou para Nova York e você? Não importa, o que interessa é que temos algo em comum, ambos vamos morrer de câncer no pulmão.

Quando o sacerdote levantar o Corpo do Senhor, você vai se apresentar ao sacerdote e vai sair sem lepra ou quase sem lepra. Hoje na Canção Nova, eu olho para os meus irmãos e vejo que suas lepras estão sumindo. E eu digo pra vocês sem medo de errar que suas lepras estão caindo. Existiam dois amigos, mas amigos pra valer. De repente um deles foi atropelado e teve uma hemorragia generalizada, precisava de sangue, e ninguém de sua família tinha sangue compatível. O outro amigo se ofereceu para doar sangue e um do lado do outro começou a transfusão de sangue. Aquele que tinha sofrido o acidente foi melhorando e o seu doador morreu. Alguns dias depois, sua mãe o convidou para ir ao enterro, e ele respondeu que não tinha pedido para ninguém dar o sangue, e que deu porque quis. Não é errado isto? Mas nós fazemos a mesma coisa! Jesus deu seu sangue por nós e nós muitas vezes ignoramos Jesus. Mas a cada dia que caminho no deserto, eu o conheço cada vez mais. Jesus que nos deu a vida para ficarmos sem a lepra, sem ficarmos isolados da sociedade. Nós não fomos feitos para ficar isolados, mas para vivermos juntos.

Deus te quer vivendo bem pertinho de seus pais, mas as lepras o impedem de fazer isto. Jesus está te dizendo: ‘‘Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida’’. Caminhe meu irmão. Hoje é dia de você dizer não ao pecado. E esse não é um não que não é negativo, mas que limita, que diz sim, como os nãos dos mandamentos. Se eu te digo não pise aí senão você vai perder o pé, eu não estou te dizendo não, estou te limitando para que você não seja prejudicado.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.