Já conversou com Deus hoje?

“Tende fé em Deus. Em verdade, vos digo: se alguém disser a esta montanha: ‘Arranca-te e joga-te no mar’, sem duvidar no coração, mas acreditando no que vai acontecer, então acontecerá. Por isso vos digo: tudo o que pedirdes na oração, crede que já o recebestes, e vos será concedido.” (Mc 11, 22-24)

Graça e Paz, meu irmão, minha irmã!

Conversar com Deus é sem dúvida a mais comum e universal das práticas religiosas. É o sublime momento em que a criatura se coloca diante do Deus Supremo em que acredita. E não deixa de ser sublime mesmo que para muitos este seja um momento de medo, de respeito humano, em que triste e absurdamente se acredita em uma “distância” que Deus supostamente mantém de seus filhos. Veja que falo em conversa com Deus. E a oração é assim, uma conversa, um diálogo em que o Grandioso Deus eleva para si seus filhos, para ouvir e falar com eles. E é tão fácil conversar com Deus que se torna impossível acreditar que Ele seja inacessível e distante. Por isso, ao nos colocarmos diante do Senhor para orar, devemos conversar como fazemos com nossos amigos mais íntimos, sem deixar de louvá-lo e admirar Sua grandeza e majestade. E o nosso amigo mais íntimo e fiel é o próprio Deus! Se é assim, por que temos tanta dificuldade em pedir? Por que tantas vezes não somos atendidos?

Jesus nos dá muitas dicas de como conversar com o Pai. O Evangelho está cheio delas. E devemos praticá-las, pois, quem melhor que o próprio Filho pode nos instruir? Muitas vezes oramos de modo desesperado e aflito, sem muita esperança… buscamos Aquele que tudo pode, mas sem confiar muito, oramos descrentes. Conversamos com Deus brigando e gritando, cobrando dele e falando sem parar, esquecendo que é um diálogo. Parece até que oramos por falta de outra opção melhor. Por isso Jesus começa dizendo nesta passagem: “Tende fé em Deus”. A oração antes de tudo deve ser feita com muita fé. Oração sem fé é jogar conversa fora… Se suplicamos a Deus sem acreditar que Ele pode fazer o que pedimos, segundo a Sua Vontade, como queremos que nossas súplicas sejam atendidas? “Se alguém disser a esta montanha: ‘Arranca-te e joga-te no mar’, sem duvidar no coração, mas acreditando que vai acontecer, então acontecerá”. E podemos substituir a montanha por toda dificuldade, por aquilo que hoje nos parece impossível. Que nós saibamos falar, mas também escutar e acolher o que diz Aquele que mais nos ama. E se nossa vontade é diferente da vontade de Deus, Ele misericordiosamente nos mostrará e, ao sermos dóceis, compreenderemos e logo aceitaremos os desígnios maravilhosos de Deus para nós, e contemplaremos a montanha gigantesca e assustadora dos nossos problemas simplesmente se jogar no mar…

São Paulo também nos dá uma dica em sua carta aos Filipenses. Ao conversar com Deus, em toda situação, seja ela boa ou não, “Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito, alegrai-vos!” (Fl 4, 4). E o mesmo faz o salmista: “Bendirei ao Senhor Deus em todo tempo, meu louvor estará sempre em sua boca!” (Sl 33, 2). Na pior das situações, quando tudo parece sem solução, quando não temos vontade nenhuma de rezar, alegremo-nos no Senhor! Bendigamos ao Senhor em todo tempo! “Não vos preocupeis com coisa alguma, mas, em toda ocasião, apresentai a Deus os vossos pedidos, em orações e súplicas, acompanhadas de ação de graças.” (Fl 4, 6) Sim, não podemos nos esquecer de agradecer a Deus em cada conversa por nos dar a grande graça de ser o nosso refúgio, mas também porque já acreditamos que Ele atendeu as nossas súplicas!!! E diante disso, experimentamos a eficácia imediata de nossa conversa: “E a paz de Deus, que supera todo entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos no Cristo Jesus.” (Fl 4, 7).

Então, já conversou com Deus hoje? Que tal começar agora? Você deve ter muita coisa para conversar com Ele… Pela intercessão de Nossa Senhora Auxiliadora, a paz do Senhor esteja com você, meu irmão, minha irmã!!!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.