Espiritualidade

A espiritualidade é o jeito especial com que o Espírito Santo nos leva a seguir a Cristo para nos encontrarmos com o abraço misericordioso do Pai.

Espiritualidade é seguir os caminhos e os rumos que o Espírito nos indica, então dentro das normas que caracterizam a espiritualidade cristã, dá-se o aspecto trinitário a dimensão de segmento de Jesus Cristo, é a vida nova no Espírito, uma transformação, aquilo que são Paulo fala: “a morte do homem velho, o nascimento do homem novo, é necessário passar da nossa condição material, da situação carnal para condição espiritual, a vida velha à vida nova, morte e ressurreição’, e esta espiritualidade também tem que ser encarnada com os pés no chão, o Espírito puxa todas as realidades para Deus, Ele não separa, Ele não divide, não destrói, Ele transforma, Ele eleva e Ele potencializa, isto é muito importante perceber. Se toda a realidade traz a marca da trindade, como nós vamos ver todos os aspectos da existência humana deve ser iluminada pelo Espírito, tem que entrar na espiritualidade. Ora, como não dá para vivermos tudo ao mesmo tempo, daí nós percebemos como o Espírito Santo sopra e age onde quer e vão surgir muitas e muitas espiritualidades na vida da Igreja.

Ao entrarmos pelo batismo na comunhão do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ficamos grávidos de Deus, devemos revelar Deus a luz do mundo. Para entender melhor todo mundo já viu falar na história de santo Agostinho, meditando sobre os mistérios da Santíssima Trindade à beira da praia, esta é uma lenda medieval, não aconteceu isto, foi uma lenda, mas eu digo que foi uma parábola. Estava santo agostinho caminhando pela praia tentando entender os mistérios da Santíssima Trindade, escrevendo seu livro, ele vê um menino com uma conchinha que buscava água do mar e jogava num buraquinho, ele perguntou: ‘o que você está fazendo?’. ‘Eu vou colocar toda a água do mar neste buraquinho.’ mas isto é impossível, é mais fácil eu colocar toda a água deste oceano neste buraquinho do que você entender os mistérios da Santíssima Trindade com sua inteligência. Qual é o sentido maior desta parábola, desta lenda. O imenso mar é o próprio mistéro de Deus, e um dia vamos entrar neste mar, vamos afogar e inebriar nele, e assim teremos vida sem nos afogar. Esse afogar é que nos dá vida, essa entrada no mar que é o próprio Deus, portanto o mar imenso cabe aonde, num pequeno buraquinho. E o que é este pequeno buraquinho? É o ser humano, é a humanidade, imensidão de Deus coube na humanidade pelo Mistèrio da Encarnação do Verbo, Deus para poder se comunicar, para poder nos saciar, nos fazer jorrar esta água viva, ele se fez um de nós, então em Jesus Cristo nós temos um acesso para compreender quem é Deus, não é simplesmente pela mente, mas pelo coração: ‘eu creio para entender e entendo para poder crer’.

‘Onde reina o amor, fraterno amor, Deus aí está!”.

Seu irmão,

Eduardo Rocha Quintella
Fraternidade S. J. da Cruz – O.C.D.S – B.H. – Adorador Noturno da Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem – B.H.
E- mail : eduardoquintella@superig.com.br Tel.: x 31 3486-8507 – Belo Horizonte MG

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.